Mostrar mensagens com a etiqueta Cultura. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Cultura. Mostrar todas as mensagens

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

0 Virgin Megastore vai pedir insolvência na quarta-feira

A administração da Virgin Megastore, cadeia francesa de distribuição de cultura, confirmou hoje que vai avançar na quarta-feira com o pedido de insolvência da empresa no Tribunal do Comércio.
"Fazer uma declaração de insolvência é uma exigência legal quando a empresa é incapaz de cumprir as suas responsabilidades", afirmou a administração em comunicado, citado pela AFP.
O pedido de insolvência será feito na quarta-feira, dois dias depois de reuniões sobre o processo de insolvência e onde estiveram presentes representantes dos 1.000 trabalhadores do grupo em França.
O pedido de insolvência pode resultar em reestruturação ou liquidação da empresa.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

0 Rua de Lisboa adulterada em vídeo para promover turismo de Portugal

A manipulação no vídeo chamado “A beleza da Simplicidade”, feito para promover o turismo de Portugal, levou a que uma das principais ruas da cidade de Lisboa fosse adulterada.
Na imagem, a Rua Braancamp é transformada numa longa avenida onde se repetem não apenas os jardins do Parque Eduardo VII, e os edifícios do BES/Hotel Fénix, como também a rotunda do Marquês de Pombal. Para não ser tão óbvio, só a estátua foi apagada da montagem.
Esta falha é perceptível entre os minutos 2.59 e 3.03.
O vídeo foi multipremiado internacionalmente no estrangeiro e foi encomendado pelo Turismo de Portugal.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

0 Paulo Gonzo celebra 35 anos de carreira

O cantor português Paulo Gonzo vai subir ao palco do Coliseu do Porto a 12 de Outubro e, no dia seguinte, vai actuar no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, para celebrar 35 anos de carreira, anunciou a editora discográfica Sony Music.



"Estes espectáculos vão contar com convidados como Jorge Palma, Rui Reininho, Zé Pedro, Tito Paris e Lúcia Moniz", pode ler-se no comunicado da Sony Music.
‘Só Gestos’ é o mais recente álbum de originais em português, que tem a participação especial de Tito Paris (voz e guitarra nylon), Pedro Jóia (guitarra nylon), Carlos Lopes (acordeão), Jair de Pina (percussão) e José Vasconcelos (teclados).
‘Negra’, ‘Vem’, ‘O (Teu) Brinquedo’ e ‘São Gestos’ são alguns dos temas do álbum que serão interpretados nas duas salas.
Paulo Gonzo iniciou a carreira em 1975 como co-fundador, compositor e vocalista da Go Graal Blues Band, com quem gravou quatro álbuns.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

0 CGD patrocina Dia Verde (com MAPA e PROGRAMA)

A Caixa Geral de Depósitos vai patrocinar a 2ª edição do Dia Verde, um evento gratuito organizado pela Verde Movimento e que fechará a Semana Europeia da Mobilidade. O Dia Verde vai decorrer no domingo, 23 de Setembro, entre as 14h e as 20h, nos jardins do Museu da Electricidade, em Lisboa.
Como o Green Savers anunciou no início da semana, o Dia Verde pretende mobilizar os cidadãos para a prática de hábitos ecológicos e saudáveis, através de um programa inteiramente dedicado às grandes causas da sustentabilidade – respeito pelo ambiente, pelo outro e pelos animais, pela promoção de um estilo de vida saudável, o combate ao desperdício e um enfoque na mobilidade inteligente.
A iniciativa será palco de um programa diversificado, que pode ver aqui (em PDF).
O cartaz foi pensado para todas as gerações e inclui vários workshops temáticos, mercados artesanais – biológicos, de trocas e de 2ª mão – e espaços lúdicos.
“O Dia Verde é um evento com uma vertente pedagógica, que pode ser vivido em família e que convida as pessoas a alterarem o seu estilo de vida de forma simples e fácil. E a adoptarem um comportamento no dia-a-dia saudável, ecológico e sustentável, em prol de um futuro melhor para o planeta”, explica a organização.
Veja também o Mapa do recinto.

71 ESCÂNDALO LUÍS REPRESAS

POSTÁDO TAL COMO RECEBI....

E julgava eu que era só na política!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Quando fiz fisioterapia os técnicos falavam que ele tem uma casa na Aroeira e que não paga o condomínio e ainda tem a coragem de ir às reuniões gozar com os condóminos.

A sensação de impotencia é desesperante!!!!
Realmente não conhecemos as pessoas hoje em dia quem diria... que não parte um prato...
leiam que vão ficar tão supresos como eu...

DIVULGO COMO RECEBI PARA IRMOS CONHECENDO ONDE HABITA A ESCÓRIA.

Pelo menos não é anónimo, ela teve a coragem de assinar
"LUÍS REPRESAS - VIGARISTA PERIGOSO"


LUIS REPRESAS, conhecido cantor em Portugal, serve-se disso mesmo para dar cobertura a uma vida de vigarices, calotes e burlas.

Por isso mesmo e por ser uma figura querida da comunicação social, ninguém publica as desgraças que este senhor com o seu sócio Cajó e as suas empresas têem feito a muita gente.

Sem saber da missa a metade, só quando da Expo98 com a abertura do Bugix, bar restaurante que esteve uns anos sempre cheio e que nunca ninguém percebeu porque fechou, o Bar Xafarix que também ninguém percebeu porque fechou e mais tarde ainda na Expo98 o Titanix que foi uma casa de utopia.

Pois este senhor Luis Represas praticamente nunca pagou rendas à Parque Expoque era o senhorio do Bugix e do Titanix e claro,
foram uns milhares largos de contos que ficaram no bolso até que o obrigaram a fechar os estabelecimentos, mas pagar...

Depois foram inúmeros fornecedores de tudo e mais alguma coisa que ficaram a ver 'navios' mas receber .....nada...

Pior ainda foi quando traiu a confiança de amigos, de longa data, que além de lhe fornecerem materiais diversos, principalmente bebidas ainda lhe foram fiadores de letras para compra de material para equipar o restaurante e que como é óbvio o senhor Luis Represas nunca pagou e os fiadores tiveram que pagar que é para isso que eles existem....

Agora o grave e ao mesmo tempo caricato deste Luis Represas é que foi interpelado por um desses amigos a quem a divida ultrapassa os 30.000 ¤ ( trinta mil euros )!!! foi falar com o Luis Represas a pedir o dinheiro porque estava a passar necessidades e o Luis não tem necessidade de o fazer passar por isso ao que ele respondeu, pedindo desculpa, que o amigo tinha razão e tinham de combinar uma forma de pagamento rápida.

Pois é, a forma rápida de pagamento do vigarista Luis Represas foi ir à Policia Judiciária fazer queixa do amigo a quem ele deve dinheiro, ( mas isso ele não disse à policia ) dizendo que tinha sido ameaçada a sua integridade fisica e que lhe tentaram extorquir dinheiro.

Escusado será dizer que o amigo do Luis Represas foi hoje à Judiciária ser constituido arguido por esta queixa e quase mal tratado pois tinha tratado mal o menino Luis.

A Policia não pode ter comportamentos diferentes antes de apurarem a verdade só porque o queixoso é conhecido ....investiguem.

Faço daqui um apelo para que não comprem nada deste energúmeno nem assistam a espectáculos dele.

Estamos a alimentar um vigarista mafioso pelo que solicito a divulgação deste mail pelos vossos contactos....

Carla Esteves
Finibanco, S.A.
Tel.: 217923599 - Fax: 217902974

terça-feira, 18 de setembro de 2012

0 Maria Teresa Horta recusa receber prémio das mãos de Passos Coelho

A escritora Maria Teresa Horta, distinguida com o Prémio D. Dinis pelo romance As Luzes de Leonor, disse hoje à Lusa que não o aceita receber das mãos do primeiro-ministro, conforme o previsto.
A entrega do Prémio D. Dinis esteve agendada para a próxima sexta-feira, numa cerimónia com a presença do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.
«Na realidade eu não poderia, com coerência, ficar bem comigo mesma, receber um prémio literário que me honra tanto, cujo júri é formado por poetas, os meus pares mais próximos - pois sou sobretudo uma poetisa, e que me honra imenso -, ir receber esse prémio das mãos de uma pessoa que está empenhada em destruir o nosso país», explicou Maria Teresa Horta à Lusa.
«Sempre fui uma mulher coerente; as minhas ideias e aquilo que eu faço têm uma coerência», salientou a escritora que acrescentou: «Sou uma mulher de esquerda, sempre fui, sempre lutei pela liberdade e pelos direitos dos trabalhadores».
Para Maria Teresa Horta, «o primeiro-ministro está determinado a destruir tudo aquilo que conquistámos com o 25 de Abril [de 1974] e as grandes vítimas têm sido até agora os trabalhadores, os assalariados, a juventude que ele manda emigrar calmamente, como se isso fosse natural».
A autora afirmou que «o país está a entrar em níveis de pobreza quase idênticos aos das décadas de 1940 e 1950 e, na realidade, é ele [Passos Coelho], e o seu Governo, os grandes mentores e executores de tudo isto».
«Não recuso o prémio que me enche de orgulho e satisfação, recuso recebê-lo das mãos do primeiro-ministro», deixou claro Maria Teresa Horta.
A escritora disse que já informou a Fundação Casa de Mateus da sua decisão, assim como a sua editora e falou com cada um dos membros do júri.
A premiada salientou ainda a «satisfação» que lhe deu ter sido distinguida «por um júri que representa três gerações de poetas: o Vasco Graça Moura que é da minha [geração], o Nuno Júdice, que é da seguinte, e o Fernando Pinto do Amaral, que é a mais nova».
No sítio da Fundação Casa de Mateus, na Internet, é afirmado que «a sessão solene de entrega do Prémio será agendada brevemente».
O Prémio Literário D. Dinis, instituído pela Fundação da Casa de Mateus, foi atribuído por unanimidade à escritora, pela obra «As luzes de Leonor. A marquesa de Alorna, uma sedutora de anjos, poetas e heróis», editado pelas Publicações D. Quixote.
Instituído em 1980 pela Fundação Casa de Mateus, em Vila Real, o galardão é atribuído a uma obra literária - de poesia, ensaio ou ficção - publicada no ano anterior ao da atribuição do prémio.
As Luzes de Leonor, obra editada em 2011, é um romance sobre a vida da marquesa de Alorna, Leonor de Almeida Portugal de Lorena e Lencastre (1750-1839), neta dos marqueses de Távora, uma mulher que se destacou na história literária e política de Portugal num período denominado como «o século das luzes».
D.ª Leonor de Lorena e Lencastre é avó em quinto grau de Maria Teresa Horta, nascida em 1937, em Lisboa.
Maria Teresa Horta estudou na Faculdade de Letras de Lisboa, foi jornalista e activista do Movimento Feminista de Portugal, com Maria Isabel Barreno e Maria Velho da Costa, com quem escreveu o livro Novas Cartas Portuguesas.
Amor Habitado (1963), Ana (1974) e O Destino (1997) contam-se entre mais de duas dezenas de obras publicadas da escritora.

0 'Surf Camp' de Mafra processa Câmara

Os proprietários do 'surf camp' da praia de Ribeira d'Ilhas, na Ericeira (Mafra), encerrado pela Câmara em Julho ao tomar posse administrativa do terreno, vão avançar para tribunal contra a autarquia por estar a esconder documentos do processo.



O advogado dos empresários, José Vieira Fonseca, afirmou à agência Lusa que foi entregue no Tribunal Administrativo de Lisboa uma acção contra a câmara de Mafra, por violação do direito dos cidadãos ao acesso a documentos da administração pública.
Em causa está o facto de não terem sido facultados quer o despacho camarário que levou à posse administrativa do terreno, quer documentos relativos ao contrato de empreitada das obras de requalificação daquela praia.
Contactada pela Lusa, a autarquia não quis prestar esclarecimentos por o processo estar em tribunal.
O início das obras, com demolição do 'surf camp' (espécie de parque de campismo para surfistas, com escola de aprendizagem de surf), está dependente ao visto do Tribunal de Contas (TC) ao contrato de adjudicação de empreitada, autorização que se atrasou tendo em conta que o TC detectou uma discrepância nos prazos da obra na documentação do processo, obrigando a Câmara a retifica-lo.
Encerrado há mais de um mês numa acção que obrigou os proprietários a desalojar hóspedes e a retirar os seus bens, os proprietários do 'surf camp' de Ribeira d'Ilhas, uma das praias mais procuradas por surfistas a nível mundial, contestam a expropriação por alegarem que a declaração de utilidade pública, que a fundamentou, estava caducada e aguardam decisão judicial à ação de suspensão da mesma, através de uma providência cautelar interposta.
Os empresários avançaram também com outras queixas ao Ministério Público, Provedor de Justiça e Comissão Europeia.
O município explicou que, como estão em causa fundos comunitários que podem perder-se se não for respeitado o prazo de execução das obras, teve de avançar com a posse administrativa, logo que em Abril o tribunal indeferiu a providência cautelar interposta pelos proprietários.
O processo de expropriação levado a cabo pela autarquia surgiu de um diferendo entre autarquia e proprietários, que discordaram do projeto de requalificação previsto para a praia e que queriam avançar com um outro projeto de construção de um novo 'surf camp'.
A Câmara de Mafra aprovou interesse público para os terrenos no intuito de avançar com as obras de requalificação, previstas no Plano de Ordenamento da Orla Costeira.
As obras vão custar 2,3 milhões de euros, comparticipados em metade pelo Quadro de Referência Estratégica Nacional e em 521 mil euros pelo Turismo de Portugal.
A intervenção vai incidir no reordenamento dos acessos à praia e do estacionamento, criação de percursos pedonais, aumento da praia, colocação de novo mobiliário urbano, nova iluminação pública e construção de um edifício de apoio aos desportos de ondas, semelhante a um centro de alto rendimento.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

0 Balas & Bolinhos - O último capítulo" estreou esta quinta-feira

Começou em 2001, com uma brincadeira entre quatro amigos. E a saga continua, agora com o terceiro filme. "Balas & Bolinhos - O último capítulo" estreia na próxima quinta-feira. Custou meio milhão de euros. Foi filmado em Portugal e no Vietname.




 

NOTÍCIA TUGA Copyright © 2011 - |- Template created by Notícia Tuga - |- Powered by Notícia Tuga