Mostrar mensagens com a etiqueta Pedro Abrunhosa. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Pedro Abrunhosa. Mostrar todas as mensagens

terça-feira, 13 de novembro de 2012

0 Pedro Abrunhosa acusa Merkel de matar economia da Zona Euro e trucidar Estado Social


Pedro Abrunhosa enviou à imprensa uma carta aberta dirigida a Angela Merkel, a chanceler alemã que ontem esteve de visita a Portugal.
Nesta missiva, o músico do Porto apresenta-se como "um cidadão português do interior daquilo que já foi a classe média" e acusa Merkel de "matar o que resta do motor da economia da Zona Euro e trucidar o que resta do Estado Social".

Vejam aqui a mensagem de Pedro Abrunhosa na íntegra.

"Fala-lhe um cidadão português do interior daquilo que já foi a classe média. Como deve saber, como líder da maior economia da União Europeia, a ex-classe média foi a salvaguarda do sistema democrático porque reuniu em si a génese de um sistema que resultava da iniciativa, trabalho, produtividade, justiça fiscal, oportunidade, emprego, riqueza, qualidade individual e coletiva de vida.

Foi a classe média europeia um sonho de igualdade social, abençoado à esquerda e à direita, que sustentou nas democracias europeias a estabilidade e a  Paz. Foi também através da classe média que o Estado Social, que e Europa se orgulhou de um dia ter criado, se financiou, permitindo a inúmeras gerações reformas dignas, sistemas de saúde eficazes, justiça, ensino, acesso a bens culturais, equidade e paz social.Parece-me que a forte economia alemã, que é o primeiro país da União a não cumprir contenção, controle do deficit, sobreendividamento público, conquistou este estatuto a reboque do que a ex-classe média do resto da Europa produziu como superavit, uma vez que o maior mercado para os produtos alemães é a restante UE.Ao entronizar Austeridade sobre Austeridade para os seus parceiros europeus, algo que não pratica em casa, está V.Exª a matar o que resta do motor da economia da zona Euro e a trucidar o que resta do Estado Social.

Não ficará a Alemanha que V.Exª dirige isenta de culpas no crescimento de uma preocupante conflitualidade social a cada dia mais violenta, na desagregação do espirito europeu, no fim do sentido de comunidade e pertença, no fim do projecto Euro, no desaparecimento da Paz na Europa, historicamente tão vulnerável à falta de solidariedade interna entre os seus membros.Quer-me parecer que esta vontade indómita de liderança que V.Exa quer impor aos seus parceiros, faz deles menos parceiros e mais súbditos.

Por essas razões, e muitas outras, Portugal, que nunca foi súbdito, começou já a demonstrar nas ruas, já que o Governo o não faz, que não aceitará trabalhar mais, pagar mais, para o enriquecimento do único pais que afinal V.Exa, já a muito custo, ainda dirige.

Um muro por mais alto não separa/Os que têm fome dos que têm a seara  in  Silêncio 1999

Atentamente, Pedro Abrunhosa"

 

NOTÍCIA TUGA Copyright © 2011 - |- Template created by Notícia Tuga - |- Powered by Notícia Tuga