Mostrar mensagens com a etiqueta Petições. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Petições. Mostrar todas as mensagens

domingo, 15 de junho de 2014

0 Facebook “ouve” e grava o som do microfone de smartphones

Se tiver a aplicação do Facebook instalada no seu smartphone, cuidado com a última actualização. O Facebook consegue ouvir as conversas ou o com que está a ouvir.
Falar da NSA espiar em todos nós ou da Wikileaks divulgar informações que os governos escondem não é comparável, de todo, ao que o Facebook está a fazer.
Está já em marcha a função do Facebook, na aplicação distribuída para vários smartphones,  que permite a esta rede social escutar as tuas chamadas de voz.
Na realidade não “escutam” em tempo real. Guardam o som do microfone do smartphone. E para quê? Para identificar séries de televisão ou outros momentos “públicos”, incitando posteriormente o utilizador a partilhar este momento na rede social.
Esta identificação já é possível actualmente com as fotos: o Facebook sugere (ou pergunta) se queremos fazer “tag” de uma pessoa, caso a cara dessa pessoa seja identificada pelo Facebook como um dos nossos amigos.
Esta informação já foi confirmada pelo próprio Facebook; segundo um comunicado emitido recentemente, embora “não seja guardado qualquer som” a empresa pertence arquivar a informação obtida pelo som.

Consequências do que o Facebook pode ouvir

Confiando, em boa fé, na informação de que rede social não irá usar estes dados ou disponibiliza-los para terceiros, podíamos eventualmente ficar descansados. Por outro lado, a nossa privacidade pode estar em risco. Desde a medicação que tomamos, aos desabafos, aos casos de traição até ás tentativas de suicídio, o Facebook pode saber de tudo - e partilhar esta informação com quem quer que seja.

Eles gravam os dados…

MoMo Zhao, respresentante do Facebook, confirma: “se uma identificação positiva [sobre séries televisivas ou outros exemplos públicos] for feita, os dados são gravados, mas todos os dados são anónimos”.
Por outro lado, o Facebook não quis comentar sobre o facto de guardarem ou não os dados caso não seja encontrada nenhuma identificação positiva.

Existe já uma petição online com mais de 555.000 assinaturas. O objectivo é chagar Às 750.000. Nesta petição é possível ler-se que a aplicação do Facebook “é uma ameaça à nossa privacidade”.

A alternativa, para quem não quiser usar a aplicação, é usar a versão mobile a partir de qualquer browser de smartphone, disponível em m.facebook.com.

Assina a petição

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

0 Por Um Horário Escolar (no 1.º Ciclo) Que Não Roube A Infância PETIÇÂO

Ex.as:

Após a alteração legislativa, que incluiu explicitamente o Apoio ao Estudo na componente letiva, esperava-se que as crianças do 1.º Ciclo se libertassem das cinco horas e trinta minutos, que eram obrigadas a estar, duas vezes por semana, com o/a professor(a) titular de turma. São crianças dos cinco aos nove anos, e, manter a concentração por mais de três horas é quase impossível.

Aconteceu porém, em vários Agrupamentos, que as crianças nessa faixa etária, passaram a estar SEIS horas, TRÊS vezes por semana, com o/a titular de turma- O INTERVALO DEIXOU DE SER CONSIDERADO COMPONENTE LETIVA; AS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR (AEC) são ministradas em apenas DOIS DIAS na semana. A MÚSICA, momento de descontração, divertimento e "trabalho em equipa", deixou de estar presente nas nossas escolas(no Agrupamento em causa).

Com duas horas consecutivas de Inglês e Atividade Física e Desportiva, em cada dia de AEC, há, já agora em janeiro, uma saturação, uma incapacidade de aprendizagem e de realização das atividades previstas, por cansaço físico e mental, quer nas AEC, quer na atividade curricular. Alunos que gostavam da escola, de momento, dela querem "fugir."

Acresce à situação, um horário de DUAS HORAS DE ALMOÇO, numa escola com refeitório- crianças enervadas, em conflitos constantes, que se aleijam sem querer, em espaços artificiais onde têm que ocupar tanto tempo livre. Aulas que não "rendem", porque a concentração escasseia.

Também no Estatuto do Aluno, É UM DIREITO DE TODOS E DE CADA UM, "Usufruir de um horário escolar adequado ao ano frequentado,bem como de uma planificação equilibrada das atividades curriculares e extracurriculares, nomeadamente as que contribuem para o desenvolvimento cultural da comunidade."

Assim, solicita-se a elaboração de um Horário Pedagógico, adequado aos alunos, que lhes permita ter atividade letiva até às 15 horas e 30 minutos, seguida de AEC diária, com a duração de uma hora e trinta minutos (QUE SÓ ASSIM PODERÁ SER DE FREQUÊNCIA FACULTATIVA), à semelhança do que acontece em Concelhos limítrofes.

Não é licito "roubar" o melhor tempo da vida de uma criança - A INFÂNCIA - impedindo-a de brincar e ter tempo de diversão. Afastando-a da Natureza, dos ambientes saudáveis e essenciais ao seu crescimento equilibrado.

Os Peticionários.

sábado, 23 de novembro de 2013

0 Animação incrível sobre a pesca escessiva

Não é só esta animação incrível, ela também oferece uma valiosa lição sobre os perigos da pesca excessiva.

Apesar de uma maior consciência de sobrepesca, a maioria das pessoas ainda sabem muito pouco sobre a escala da destruição que está sendo feito sobre os oceanos. Este filme apresenta um caso indiscutível de por sobrepesca precisa acabar e mostra que ainda há uma oportunidade de mudança. Reforma da Política Comum das Pescas da UE está quase completa. Ministros das Pescas e membros do Parlamento Europeu, os eurodeputados, estão negociando um acordo para os futuros subsídios à pesca da UE, que devem apoiar e acabar com a sobrepesca da UE. 
 Nesse meio tempo você pode apoiar a campanha para acabar com a sobrepesca por, http://petition.bloomassociation.org/ ...

  

sábado, 16 de novembro de 2013

1 Petição contra a máfia na saúde

Para: contribuintes

A reportagem "Desviados" na TVI deixou a olho nú aquilo que grande parte das pessoas que directa ou indirectamente trabalham na saúde já sabiam, mas que por um ou outro motivo, faziam de conta que não. Doa a quem doer, esta é a verdade, muitos médicos, enfermeiros e administrativos sempre foram coniventes com esta máfia de alguns médicos, ocultando, não denunciando, deixando passar impune todos os roubos ao contribuintes, todos os roubos ao doente! Alguns, como se vê na reportagem, ganharam coragem e denunciaram a entidades supostamente competentes para terminar com o flagelo (ARS, Ministério), porém esta máfia está tão bem montada, que tudo era abafado e quem saia prejudicado eram os delatores.
Mas então que máfia é esta?
É uma máfia que falsifica consultas programadas a utentes dos Centros de saúde para ganhar tempo e doentes para os seus consultórios privados. Os utentes desconhecem a marcação dessas consultas, logo faltam, logo o Sr. Doutor dispõe de umas horas para ir roubar algumas centenas de euros a desgraçados que vão ao seu consultório, porque esperaram desde as 4h da manhã à porta do Centro de saúde mas não conseguiram vaga. Só havia 4 vagas para uma população de 1891 habitantes!
É uma máfia que inscreve utentes em listas de espera para cirurgias que não tinham qualquer razão de existir e dessa forma as listas preenchiam-se com cirurgias inexistentes, desviando os verdadeiros doentes, com verdadeiras necessidades de cirurgia, para hospitais privados, onde curiosamente o mafioso cirurgião responsável pelo acto, trabalhava.
É uma máfia que falsifica diagnósticos e prioridades de cirurgia, para que dessa forma se consiga a transferência do doente para hospitais privados.
É uma máfia que inventa diagnósticos cirúrgicos inexistentes para aumentar no final a despesa que o Estado paga pela intervenção cirúrgica do doente.
É uma máfia que desvia doentes do hospital público para o privado, através de falsas justificações, manipulando a vulnerabilidade e ignorância de pessoas com poucos rendimentos.
É uma máfia que rouba, sem vergonha na cara, pequenas fortunas a estas pessoas com poucos rendimentos, manipulando-as a serem submetidas a cirurgias no privado, quando as poderiam fazer no público.
É uma máfia que acolhe o doente mediante as prendas trazidas.
É uma máfia onde o mesmo mafioso tem uma má postura e conduta no sector público e a inversa no privado. (Não é a toa que muita gente refere que no privado é que é bem tratada)
É uma máfia que manipula e altera escalas de urgência a seu bel-prazer, onde o mafioso aparece horas infindáveis na escala de serviço, quando efectivamente está desaparecido no privado.(resultado recebe a duplicar e recebe uma fortuna em horas extraordinárias)
É uma máfia que autoriza intervalos generosos do serviço, para que o mafioso se ausente para outras actividades, como p.e, almoços e jantares em restaurantes, ou consultas no privado.
É uma máfia que valida consultas presenciais a doentes acamados que nunca se deslocaram ao centro de saúde.
É uma máfia que manipula e altera todo um SNS, ao ponto de levar milhares de portugueses já com idade avançada, a nunca terem tido médico de família.

Vendo bem, mafioso é pouco para apelidar este estrume. Um mafioso pelo menos sabe que é criminoso.

Sendo assim, nós abaixo assinado exigimos que seja feita uma investigação minuciosa a estes procedimentos médicos ilícitos, para que dessa forma, todos os infractores respondam em tribunal pelos seus crimes e que todas as vítimas sejam indemnizadas pelos próprios, por todos os danos causados.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

0 Petição para demitir Passos chega ao Parlamento

A petição ‘Alternativas de Políticas’ que pede a demissão do primeiro-ministro Passos Coelho, e que foi inspirada na carta que o antigo Presidente da República Mário Soares enviou ao actual chefe de Governo, já conta com mais de quatro mil assinaturas, pelo que já pode ser discutida em plenário na Assembleia da República.


O jornal i conta que há cerca de um mês, Diogo Campos Rodrigues, de 26 anos, decidiu em conjunto com um grupo de amigos adaptar como texto para uma petição pública a carta aberta que o antigo Presidente da República, Mário Soares, enviou (em Novembro) ao primeiro-ministro e na qual pedia uma mudança de políticas ou a demissão de Passos.

Na petição pode ler-se que “os signatários, ao tomarem conhecimento da carta dirigida ao Senhor Primeiro Ministro no dia 29 de Novembro de 2012, subscrita por um vasto conjunto de personalidades, vêm solidarizar-se com a mesma” e solicitar que “a Assembleia da República, no uso das competências (…) recomende ao Governo que rectifique a política e, com esta, os actos que (…) vem praticando em grave e inaceitável desconformidade com o Programa do Governo aprovado pela mesma Assembleia da República, lesando, assim, o princípio da confiança entre eleitores e eleitos”.
Rapidamente a petição alcançou, e entretanto já superou, as quatro mil assinaturas, ou seja, o número mínimo para poder ser levada a plenário na Assembleia da República.
“Até podíamos esperar mais algum tempo para levar a petição com mais assinaturas, mas a nossa prioridade é que ela seja discutida em plenário”, revelou Diogo Campos Rodrigues, que já requereu uma audiência com a presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

0 Junte-se a nós pela verdade nos combustíveis

Basta de alegações enganosas e práticas lesivas. Contamos com o apoio de todos.
Conheça o abaixo-assinado que será entregue ao ministro da Economia.
Se preferir, subscreva pelo 800 203 370. (9h-22h, dias úteis)








 

O TESTE que faltava

Low cost, regular ou premium: escolha o gasóleo mais barato. É tudo igual ao litro. Para acabar com as dúvidas, testámos 4 marcas de gasóleo.
 
 



Abastecemos com 4 combustíveis diferentes

Testámos 4 combustíveis – Galp Gforce, Galp Hi-Energy, Jumbo e Intermarché – e abastecemos 4 carros iguais.
 
 

Percorremos 12 mil quilómetros

Durante um mês, quatro pilotos profissionais conduziram os carros até cada um marcar os 12 mil quilómetros. Recolhemos combustível em postos diferentes de Lisboa a Sines, passando por Alcácer do Sal e Setúbal.

Veredicto final no laboratório

Medimos o consumo e registámos uma diferença sem significado. Também identificámos um efeito semelhante na acumulação de depósitos e no desgaste do núcleo vital do motor.
Medimos o consumo e registámos uma diferença sem significado. Também identificámos um efeito semelhante na acumulação de depósitos e no desgaste do núcleo vital do motor.

Se o impacto é igual, porquê pagar mais? As alegações do gasóleo Hi-Energy e Gforce não correspondem à verdade e já denunciámos às autoridades.


terça-feira, 6 de novembro de 2012

0 PETIÇÃO : Democracia direta para Portugal


Portugal ao povo português!
Queremos que seja implementado como novo sistema governamental em Portugal a democracia direta conforme o sistema que atualmente (e por tradição) existe na Confederação Helvética Suíça.

POR FAVOR ASSINEM E   DIVULGUEM.



Queridos amigos portugueses

O direito a ter comida suficiente é um direito humano.
Há pensionistas que contribuíram toda vida e que agora passam fome e não têm dinheiro para pagar os medicamentos.
E a Caritas portuguesa já não tem nem dinheiro nem mãos a medir face a uma situação tão desesperada.

E então, o futuro dos vossos filhos ?!
POR FAVOR, LUTEM !

Na minha opinião só há uma solução. O povo português deve exigir a democracia direta.

Na Suíça temos este mesmo sistema há centenas de anos.
O Video-Link seguinte explica-vos em português (brasileiro) o que é : http://www.youtube.com/watch?v=9aoHt5WNr0I

Mas bastam umas poucas palavras para explicar:
Na Suíça, na democracia direta, o povo tem o poder, ponto final.

Na Suíça, o povo faz as leis.
Qualquer pessoa, mesmo não sendo membro de um partido, pode propor uma lei ao parlamento que esse mesmo tem de fazer votar pelo povo (votos sim / não). Basta reunir 100'000 assinaturas dentro do prazo de 18 meses. Na época de facebook e outras redes sociais, isso é mais fácil do que nunca.

O sistema participativo da democracia direta é um ótimo meio de combater a corrupção e outros abusos.

SÓ VOCÊS PODEM SALVAR PORTUGAL
E é isso que está em questão.

É preciso um segundo 25 de Abril. Os portugueses já conseguiram naquela altura uma revolução pacífica, eficaz e inédita no mundo até hoje.
E depois, vocês têm tantas riquezas que se o povo as pudesse aproveitar e gerir vocês iam ver como Portugal se tornaria uma próspera nação com futuro.

Vocês poderiam organizar-vos e unir-vos pelos sindicatos.
E vai aqui o meu convite :
Se vocês querem mandar uma delegação para à Suíça para obter ajuda e informações, disponibilizo-me com prazer para estabelecer os devidos contactos.
Na cidade onde nasci, em Aarau, encontra-se o Centro Universitário da Democracia que está sob a diretória da Universidade de Zurique. Esse instituto dedica-se também a realizar seminários para delegações do estrangeiro sobre o tema da democracia e da democracia direta em especial.
O site seguinte fornece-vos informações atuais sobre o governo atual suiço e um vasto leque de factos sobre o nosso país : http://pt.wikipedia.org/wiki/Su%C3%AD%C3%A7a#Democracia_directa

Escrevam-me para o mail seguinte : democracia-direta@gmx.ch
Chamo-me Eveline. Falo e escrevo português.

NÃO OUCAM AS MENTIRAS DOS QUE DIZEM : «NÃO HÁ, NÃO DÁ. » E QUE VOS POEM IDEAS DE INFERIORIDADE NA CABECA SÓ PARA PODEREM ROUBAR-VOS AINDA MAIS. E NÃO VOS DEIXEM INSTRUMENTALIZAR POR NOVOS "LÍDERES" E MOVIMENTOS QUE GRITAM MUDANCA E REVOLTA SEM APRESENTAREM ALTERNATIVAS CLARAS E VIÁVEIS. QUEM ESTARÁ POR DETRÁS?

Meus amigos, exijam a democracia direta. Depois dessa luta, o povo português vai governar e ter a soberania.

Um grande abraço da Suíça de quem ca longe pensa em vocês (e não sou a única).
Eveline

P.S. : Vocês têm, como canta a Nelly Furtado que é descendente de pais portugueses, o « Spirit Indestructible », o ESPIRITO INDESTRUTÍVEL. Força! Votem aqui.

Venham participar no grupo de facebook Democracia para Portugal.
http://www.facebook.com/groups/democracia.direta/


quarta-feira, 24 de outubro de 2012

0 Petição para chumbar OE2013 já tem mais de seis mil assinaturas

A petição lançada na segunda-feira pelo Congresso Democrático das Alternativas para o chumbo do Orçamento do Estado para 2013 já ultrapassou os seis mil subscritores, disse à agência Lusa fonte daquela organização.
Segundo a mesma fonte, hoje de manhã a petição já tinha sido assinada por mais de 5500 pessoas e cerca de 48 horas após a sua divulgação já tinha ultrapassado os seis milhares de subscritores.
«Os signatários apelam à vossa responsabilidade política e institucional perante o país e perante todos os cidadãos para que seja rejeitada a proposta de Orçamento do Estado para 2013 apresentada pelo Governo. A sua aprovação constituiria certamente um mal maior para o país e os portugueses comparativamente com as consequências da sua rejeição», lê-se no texto.
Para que uma petição seja discutida na Assembleia da República tem de reunir mais que quatro mil assinaturas.
A petição foi apresentada na segunda-feira em Lisboa, numa conferência de imprensa da Comissão Organizadora do Congresso Democrático das Alternativas, que se realizou em Lisboa a 05 de Outubro e que teve como objectivo procurar alternativas ao memorando assinado com a ‘troika' da ajuda externa.
Os promotores sublinham que a proposta de orçamento já foi «contestada pela opinião pública e pela grande maioria dos especialistas», que apontam para o «prosseguimento e agravamento do caminho para uma austeridade ainda mais recessiva» que trará mais desemprego, mais «destruição da economia», «mais empobrecimento» e «mais desigualdade social» a par de «menos justiça fiscal», pelo que «ofende princípios constitucionais relevantes».
«Aos deputados, apelamos para que rejeitem esta proposta governamental de Orçamento do Estado, assumindo plenamente a vossa condição de representantes eleitos do povo e de todo o país, que é superior a quaisquer outras fidelidades ou compromissos», lê-se na petição.
«Ao Presidente da República, na qualidade de supremo representante da República, garante da independência nacional, da unidade do Estado e do regular funcionamento das instituições democráticas, obrigado a respeitar e a fazer cumprir a Constituição, apelamos a que exerça o seu direito de veto sobre o orçamento do Estado, no caso de ele ter aprovação parlamentar, ou, no mínimo, que o submeta (…) à fiscalização preventiva do Tribunal Constitucional», acrescenta.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

0 Petição Artigo 151º

Para:Presidente da Assembleia da República

Exma. Sra.
Dra. Assunção Esteves
Presidente da Assembleia da República

Portugal assiste a uma grave crise financeira e económica, já demasiado comentada e documentada, e simultaneamente ao despertar de uma nova sociedade civil, impulsionada nas redes sociais e, aparentemente, sem vínculos formais a associações partidárias, sindicais ou outras.

É uma sociedade civil que procura e necessita de uma mudança no modo de se representar enquanto Estado de Direito, já que as respostas tradicionais dadas pela democracia representativa existente no nosso sistema político dos últimos 38 anos parecem não ser suficientes. Esta necessidade não é um fim em si mesmo e procuram-se, por isso, soluções que materializem uma mudança da situação actual.

A Constituição da República Portuguesa prevê, no Capitulo II do seu Título II, os direitos de participação na vida pública (artigo 48.º) e de acesso a cargos públicos (artigo 50.º). Contudo, é fundamental o reforço constitucional destes conceitos, procurando uma maior representatividade nos eleitos para a causa pública, o que, em nosso entender, passa pela extinção do monopólio partidário, como lhe chamam Gomes Canotilho e Vital Moreira, previsto em sede de representação na Assembleia da República.

Urge por isso permitir que grupos e movimentos de cidadãos tenham a capacidade e a possibilidade de estarem representados na Assembleia da República, fora do âmbito tradicional dos partidos, já que estes candidatos trarão à função de deputado uma nova dinâmica e responsabilidade políticas, pelo seu envolvimento em causas especificas e não partidárias. Esta mudança manteria a Constituição da República Portuguesa a par da mudança social a que o país assistiu nos últimos 30 anos e, estamos certos, contribuiria para aumentar a participação cívica em Portugal

Assim, os portugueses abaixo-assinados, ao abrigo do direito de petição, solicitam que os deputados à Assembleia da República, aquando da abertura do próximo processo de revisão constitucional:

Proponham a alteração do n.º 1 do artigo 151º da Constituição da República Portuguesa de modo a que este passe a permitir a candidatura de grupos de cidadãos independentes à Assembleia da República.


Portugal, 1 de Dezembro de 2012

Os signatários

Assinar petição aqui !

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

0 Renault cria petição para Francisco Assis andar de Clio

O comentário polémico do deputado deu origem à petição " eu quero ver o Francisco Assis a andar de Renault Clio"


A Renault criou uma petição para o deputado Francisco Assis andar de Clio. Esta iniciativa surge depois do socialista ter dito que "qualquer dia querem que o presidente do Grupo Parlamentar do PS ande de Clio quando se desloca em funções oficiais",
Esta afirmação obrigou Carlos Zorrinho a vir em seu socorro ao garantir que este comentário foi uma invenção com fins políticos.
Zorrinho explicou aos jornalistas que o PS tinha quatro viaturas em renting que estavam a acabar contrato, tendo o PS optado por mudar as mesmas e poupado 100 mil euros por ano em relação à solução anterior.
O comentário foi revelado à Lusa por um deputado socialista não identificado, a frase espalhou-se rapidamente pelas redes sociais, causando uma grande polémica entre os portugueses.
A marca francesa decidiu ontem colocar um desafio na sua página do Facebook, “se quer ver o deputado a andar no novo Clio, escreva o comentário "eu quero ver o Francisco Assis a andar de Renault Clio".

terça-feira, 25 de setembro de 2012

0 Petição Todos Juntos para Demitir o Passos Coelho

Está na internet e pode ser assinada pelos interessados


Esta Petição tem como objectivo demitir o 1º Ministro, Pedro Passos Coelho.
Porquê? Porque estamos fartos de injustiças, corrupção, cinismo, promessas, que ele brinque connosco, que nos peça cada vez mais sacrifícios, que nos tente tirar ainda o pouco que temos, porque achamos que BASTA! Porque as medidas que ele diz ser benéficas para o País só o são para alguns, porque os pobres desgraçados são sempre os mesmo, NÓS! Porque em vez de melhorar o País, aumenta o desemprego com as suas medidas que diz ser a solução e desgraça a vida de muitos. Porque enquanto uns tentam sobreviver, pagar as contas ao final do mês, outros vivem vidas de luxo com salários mensais muito maiores do que os nossos rendimentos anuais e tudo com o nosso suor! Por isso Basta! Queremos o Pedro Passos Coelho fora e queremos finalmente um Homem para o seu lugar, que seja transparente, que nos respeite e que aplique medidas de austeridade para quem as pode pagar e não para o pobre desgraçado que ganha o salário mínimo ou pouco mais!

Os signatários
Assinar petição aqui !

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

0 Lançada Petição “Sem Ciência não há futuro”

Foi lançada por mais de uma centena de investigadores a petição intitulada “Sem ciência não há futuro”. A petição, que reivindica cinco medidas imediatas, pode ser assinada aqui.



Esta petição dirigida ao Ministro da Educação e da Ciência destaca na sua introdução que “a aposta na Ciência configura uma das soluções mais eficazes para a saída da crise” e que “a par do desenvolvimento da tecnologia, permitirá relançar a economia nacional e criar emprego”.
Para que estes objetivos possam ser alcançados, os autores da petição apelam para a urgência em travar o aumento da “fuga de cérebros”, destacando que este problema representa um “impensável desperdício económico em época de crise: é o investimento de décadas na Educação que agora abandona o país”. Recorde-se que o aumento exponencial da produção científica nacional, cada vez mais premiada e reconhecida a nível internacional, deve-se em grande medida ao trabalho de milhares de bolseiros. No entanto, para além desse trabalho de investigação é exigido irregularmente aos bolseiros que assegurem “uma parte substancial das necessidades de docência das universidades” e “uma série de outras funções, incluindo administrativas”. É denunciado também um conjunto importante de disfuncionalidades e problemas burocráticos graves que estão a atingir este ano os bolseiros de investigação da FCT (Fundação para a Ciência e a Tecnologia). A estes problemas conjunturais juntam-se problemas crónicos do nosso sistema científico. Os bolseiros não têm direito ao subsídio de desemprego, “não progridem na carreira (porque a carreira não existe), não têm direito a contrato de trabalho e os seus vencimentos não são atualizados há mais de 10 anos”. Conclui-se que esta geração de investigadores é simultaneamente, a “mais qualificada de sempre e, por comparação, a mais precária”.
Tendo em conta os problemas descritos reivindicam-se cinco medidas imediatas:
1. A regularização do fluxo de verbas da FCT para as entidades gestoras, de forma a permitir a plena execução dos projetos;
2. Que a FCT dê prioridade à análise da rubrica "Recursos Humanos" (Bolsas), quer para Bolsas Individuais, quer para as bolsas associadas a projetos, dado que essas verbas se encontram autorizadas e orçamentadas desde a aprovação do Projeto/Plano de Trabalhos;
3. Que se proceda aos pagamentos em atraso do Seguro Social Voluntário imediatamente;
4. Que se melhore o serviço de atendimento telefónico e de correio eletrónico da FCT, permitindo àqueles que não residem em Lisboa resolver os seus problemas com celeridade;
5. Que o Senhor Ministro da Educação e Ciência interceda junto do governo, para que este assuma como prioritária uma política de incentivos conducente à criação de emprego que absorva a mão-de-obra altamente qualificada e o seu saber.
Esta petição que oportunamente chama a atenção para a importância da ciência no desenvolvimento do país e, simultaneamente, apela à resolução de problemas muito concretos que atingem o elo mais fraco do sistema científico nacional, os bolseiros, pode ser assinada aqui.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

0 Petição contra mais impostos propaga-se pela net

Na sequência do último anúncio do primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, o Diário Económico lançou na internet uma petição pública contra o aumento de impostos. O manifesto Não a mais impostos apela à subscrição de todos os portugueses e compromete-se a «levar as assinaturas à Assembleia da República».
Resumindo o percurso e as escolhas do actual governo desde que fazia parte da oposição até ser eleito há pouco mais de um ano, o texto incita todos os portugueses a negarem a «terapia de choque» a que a maioria PSD-CDS-PP os está a sujeitar e a fazerem parte integrante da discussão política e económica em torno do Orçamento do Estado para o ano que se segue.
O manifesto lembra ao pormenor os cortes salariais e aumento da carga fiscal que incidiram sobre os trabalhadores portugueses no último ano. Lembra que, em 2011, «a carga fiscal sobre os portugueses atingiu o valor recorde de 35,9% do Produto Interno Bruto (PIB)», fazendo o país atingir o seu «nível máximo». E é nesse sentido que apela ao governo de Passos Coelho para que abandone esse caminho, que «só poderá ter consequências perversas e afundar a economia e o país numa espiral recessiva».
Como alternativa ao aumento de impostos, o Diário Económico propõe uma renegociação do calendário com a ‘troika’.
A petição termina com a promessa de levar as assinaturas à Assembleia da República e, consequentemente, à discussão dos partidos com assento parlamentar.
Às 16h30 a petição contava já com mais de 18700 signatários.

A subscrição pode ser feita em http://www.peticaopublica.com/?pi=P2012N28675.
 

NOTÍCIA TUGA Copyright © 2011 - |- Template created by Notícia Tuga - |- Powered by Notícia Tuga