Mostrar mensagens com a etiqueta Pirataria. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Pirataria. Mostrar todas as mensagens

sábado, 9 de março de 2013

0 Detido um dos criadores do coletivo hacktivista Anonymous Squad No. 035

Depois da informação divulgada sobre a sua detenção, mais de 20 sites foram atacados em retaliação. E os restantes membros prometem “não descansar”.
O grupo Anonymous Squad No. 035 operava há algum tempo através do Twitter e do Facebook e estaria, alegadamente, a passos de conseguir entrar no Facebook.

 Backdoor MaaN (nick backdoorMaaN) terá sido detido ontem, segundo uma mensagem nas redes sociais. A detenção, segundo fontes ligadas ao grupo, pode não ter sido por problemas relacionados com a informática e foi dado o “alerta” através da irmã, uma vez que alguns dos membros eram vizinhos. A mensagem dizia através de Phobos, um outro membro, que “juro que isto não será esquecido” e que “irei fazer com que os Governantes paguem por isto, e irei faze-los desejar nunca terem nascido”.

 No início desta semana o grupo publicou uma informação com uma área de login para o Newsroom do Facebook com a mensagem “estamos cada vez mais perto”. Antes disso, o grupo tinha já sido notícia por invadir e desfigurar vários sites, incluindo sites dos Governos de vários países.
Após a detenção, foram atacados mais de 20 sites. A lista parcial de sites atacados é a seguinte:
http://police.eu.cr/
http://egov-germany.co.de/
http://manar.co.nu/
http://marachale.com.nu/
http://3amori.com.nu/
http://ra7ale.com.nu/
http://haymanar.com.nu/
http://fuckass.com.nu/
http://courvasud.com.nu/
http://courvanord.eu.nu/
http://greenboys.eu.nu/
http://ue06.co.nu/
http://sda3.co.nu/
http://mezika.com.nu/squad.html
http://ziksda3.com.nu/squad.html
http://rapsda3.com.nu/squad.html
http://nuzik.com.nu/squad.html
http://dv-point.eu.nu/index.html
http://9ods.co.nu/
http://gunder.eu.nu/
http://el9ods.com.nu/squad.html
http://dv-point.eu.nu/
http://spiders.eu.nu/
Além destes ataques, colocaram também e-mails da CIA no seu Facebook bem como outros ataques que podem ser consultados na página oficial do grupo no Facebook ou acompanhado através do Twitter.

Hacktivistas Portugueses adormecidos?

Depois de Sabu ter-se tornado alegadamente um traidor e depois de vários membros dos LulzSec e AntiSec terem sido detidos, os respetivos coletivos em Portugal cessaram praticamente a sua atividade. Neste momento e de forma contínua apenas os Sidekingdom 12 efetuam ataques de SQL Injection e DDoS bem como solicitam a ajuda dos seus apoiantes para denunciar páginas que contenham indícios de pedofilia.

domingo, 20 de janeiro de 2013

0 Hacker “Barack_11” ataca 22 sites Portugueses e coloca dados no Pastebin

São Câmaras Municipais, lojas online, órgãos de comunicação social, empresas de fornecimento de Internet e outros. Os dados estão disponíveis no Pastebin.


Sem indicar motivos ou outro comentário, o Tugaleaks recebeu um e-mail contendo um único link Pastebin. Intrigados, seguimos o “rasto” e detectamos 22 sites atacados e 4 avisos de vulnerabilidades. Dos ataques, houve “dump” da base de dados que muitas vezes contém informação priviligiada ou que não devia estar online.

A lista de sites

  • adapecil.pt: o único administrador do site tem a password 12345
  • bandasfilarmonicas.com: mais de 1500 users e passwords que com pouco trabalho se conseguem “decifrar”
  • barlavento.pt: este jornal, referência no Algarve, tem mais de 300 registos de subscritores com as suas respectivas passwords.
  • boxlines.pt: esta empresa ligada ao sector marítimo tem também perto de uma dezena de passwords e usernames “leakados” na Internet
  • castellolopescinemas.com: os populares Cinemas Castelo Lopes viram também as suas passwords divulgadas na Internet. Entre as menos regulares, encontram-se passwords como “paneleiro” e “palhaço”.
  • cm-coimbra.pt: a Câmara Municipal de Coimbra tem o username “admin” e password “admin”.
  • decimagem.pt: esta empresa, da área da televisão, tem apenas um colaborador com uma password pronta a ser “recuperada” por hackers.
  • farol.iol.pt: o site Farol do IOL já tinha sido atacado anteriormente, e parece que continua vulnerável passado cerca de um ano.
  • fmleao.pt: a Fundação Manuel Leão, usando o mesmo sistema que outros sites, também tem apenas um acesso ao site.
  • graopara.pt: esta empresa de construção devia também construir os seus sites melhor, pois têm vários e-mails expostos com o ataque deste hacker
  • hasite.pt: empresa de comercialização de material para hotéis tem agora telemóveis e e-mails expostos ao público.
  • interacesso.pt: “antiga” empresa de fornecimento de Internet define username “rui” e password “rui” para um dos seus acessos.
  • margov.isegi.unl.pt: este site, de uma universidade, contém e-mails e passwords no Pastebin.
  • mascarilha.pt: a loja online que vende, entre outras, as máscaras dos Anonymous, também viu os seus acessos expostos online.
  • nasturtium.com.pt: empresa de apoio a professores tem username “admin” e password “naosei”.
  • novadecor.com.pt: embora esta conta já esteja desactivada à data da publicação da nossa notícia, os usernames e passwords são bastante fáceis.
  • portaldasfarmacias.com: a Associação Nacional de Farmácias tem um login “rtp”, não se sabe muito bem porquê, mas outros logins estão também disponíveis.
  • portugalbytradition.com: nomes de empresas e e-mails fazem parte da lista de dados divulgados.
  • sncc-psp.com: o Sindicato Nacional da Carreira de Chefes da PSP tem user e passwords online mas também IPs, sendo fácil descobrir um IP da PSP pertencente ao Ministério da Administração Interna.
  • sosazulejo.com: aqui são apenas três logins com password desta empresa cujo site apresenta até falhas “visuais” além da segurança informática
  • torrestir.pt: empresa de distribuição tem mais de 250 e-mails de newsletter online.
  • vidisco.pt: empresa ligada à comercialização e distribuição de música tem agora dados de lgin online acessíveis a todos.

Sendo estado, universidades ou outros sistemas, torna-se claro que desta forma Portugal cai bastante abaixo na segurança informática.

Link do Pastebin

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

0 Hackers vingam-se pelas crianças sem Natal

Mensagens e imagens provocadoras invadiram os sites dos partidos, do Ministério da Educação e também de um banco

O grupo SideKingdom12 ameaçou no início de Dezembro atacar vários sites institucionais durante o Natal. Promessa feita; promessa cumprida. O ataque teve início na véspera deste Natal e, até ao final do dia de ontem, foram várias as páginas de internet atacadas com imagens provocadoras contra governantes ou mensagens dirigidas aos políticos. Sites dos partidos portugueses, do governo e de um banco foram as vítimas seleccionadas pelos piratas informáticos que quiseram assim vingar-se de “todas as crianças” que ficaram sem prenda nesta quadra natalícia.
Baptizada pelo grupo de “Operação Natal Feliz”, a iniciativa incluiu as páginas do PSD, PS, CDS, o site do Ministério da Educação e Ciência e ainda do banco Santander Totta. A maioria dos sites conseguiu voltar à normalidade em poucas horas, embora as páginas do PSD dos Açores e da distrital de Aveiro continuassem até ao final da tarde de ontem com o acesso bloqueado.
Em cada site, houve uma mensagem especial. Na página do Ministério da Educação, o grupo publicou uma mensagem muito pouco adequada à quadra: “Este Natal não perdoaremos. Crianças aguardem-nos. Políticos portugueses temam-nos.” No site da distrital do PSD de Aveiro surgiram fotomontagens com o primeiro-ministro. Numa delas, Pedro Passos Coelho aparece como um prisioneiro segurando uma placa com o número de portugueses desempregados – 819 300. Noutra fotomontagem o chefe de governo surge num sinal de trânsito com o aviso: “Cuidado boi bravo.”
A “Operação Natal Feliz” já tinha sido previamente anunciada na primeira semana de Dezembro. O grupo SideKingdom12 atacou sites dos vários eurodeputados do PSD, prometendo vingança “por todas as crianças que por causa deste governo não terão as suas prendas”. No site do eurodeputado Nuno Teixeira foi publicado um vídeo ainda disponível no YouTube com críticas aos cortes nos salários e pensões que irão fazer com que as crianças “tenham de sentir os efeitos da austeridade”. “Este Natal não perdoaremos. Crianças, aguardem-nos. Políticos portugueses, temam-nos” foi a frase escolhida para invadir a página do eurodeputado José Manuel Fernandes, acompanhada do jingle “A Todos um Bom Natal”, interpretada por um coro de crianças.
Os piratas informáticos prometem não ficar por aqui e “não dar descanso” aos “caros amigos Passos Coelho, Vítor Gaspar, Cavaco Silva e todos os seus amigos”. A ajudá-los, estes hackers dizem ter vários grupos: os Anonymous do Reino Unido e de Portugal e os GEI-Portugal, um outro grupo de hackers que tem, como os SideKingdom12, ligações à rede internacional de hackers Anonymous.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

0 Site do Freeport novamente na mira de hackers


Site do Freeport novamente na mira de hackers

O site do Freeport, anteriormente denunciado no Tugaleaks como tendo falhas de segurança, continua a proporcionar aos hacktivistas alguns dados que “espalham” posteriormente na Internet.


Não é um caso recente, já que o Tugaleaks denunciou em Julho passado que o site do Freeport continuava vulnerável passados 7 meses do ataque sofrido.
Agora, quase 10 meses passados, voltamos ao início e temos novamente dados expalhados na Internet.

Site do Freeport novamente na mira de hackers

O e-mail recebido pelo Tugaleaks apresenta dois links para o “pastebin”, um site conhecido pelo seu alojamento de código mas também por ser o “dump” de informações por vezes inacessível.
O primeiro link mostra alegadamente algumas password. Temos como exemplo, retirado do site, o user ‘Catarina’ com a password ’1234′.
O segundo link mostra também uma password do user ‘admin’.
Embora o Tugaleaks não tenha testado quaisquer dados, no artigo escrito há alguns meses sobre a contínua falha do Freeport, é apontado nos comentários o aparente sucesso da operação.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

0 Pirataria. Associação pondera processar Estado se justiça não se pronunciar sobre denúncias

A Associação do Comércio Audiovisual revelou hoje, em Lisboa, que pondera processar o Estado português caso o poder judicial não se pronuncie sobre o processo de 2.000 denúncias de partilha ilegal de ficheiros na internet.
Nuno Pereira, presidente da Associação do Comércio Audiovisual, Obras Culturais e de Entretenimento de Portugal (ACAPOR), falava numa conferência de imprensa para apresentar publicamente a posição da entidade sobre um despacho do Ministério Público relativo às denúncias.
Em janeiro e abril do ano passado, a ACAPOR tinha apresentado um total de 2.000 queixas na Procuradoria-Geral da República sobre partilhas não autorizadas na internet de obras cinematográficas que, segundo a entidade, estavam à data a ser exibidas em salas de cinema do país.
Na sequência das queixas, o Ministério Público (MP) emitiu um despacho no qual o Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) considera as denúncias "inconsistentes" e "carregadas de meras presunções".
Na conferência de imprensa, Nuno Pereira apresentou o historial do processo e o respetivo despacho do DIAP, criticando duramente aquele parecer, e acusando o MP de "nada ou quase nada fazer" sobre estas denúncias.
O presidente da entidade considerou inaceitável que o MP tenha considerado que "identificar os autores dos ilícitos dava muito trabalho e teria custos elevados e, além disso, que não é óbvio que os internautas tenham tido consciência de estar a praticar ilícitos".
Nuno Pereira lamentou o conteúdo do despacho do MP, considerando que esta "falta de atuação dá impunidade à pirataria na internet, em Portugal, e tem um impacto gravoso no setor audiovisual e fonográfico, cujo cenário já é catastrófico".
"Este despacho prova também que a lei atual tem de ser reformulada porque é má e não funciona", defendeu o responsável, recordando que o secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas, prometeu ao setor que a lei seria revista até ao final do ano.
"Se não houver uma intervenção legislativa que ponha fim a estas interpretações erradas da lei, o negócio dos filmes, vídeo jogos, músicas e livros, acabou", alertou o presidente da ACAPOR, que conta atualmente com cerca de 200 associados.
Na sequência da divulgação do despacho sobre as 2.000 queixas, a ACAPOR requereu a "nulidade insanável do inquérito" e espera que o juiz de instrução se pronuncie sobre esta matéria.
"O poder judicial deve pronunciar-se, mas, se não o fizer, a ACAPOR irá desencadear uma ação contra o Estado, e apresentar uma queixa na Comissão Europeia", avançou, acrescentando que pretendem "ir até às últimas instâncias" neste caso.
 

NOTÍCIA TUGA Copyright © 2011 - |- Template created by Notícia Tuga - |- Powered by Notícia Tuga