Mostrar mensagens com a etiqueta Segurança. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Segurança. Mostrar todas as mensagens

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

0 AVISO DA PSP MUITA ATENÇÃO SENHORES/SENHORAS - CONDUTORES

AVISO DA PSP
MUITA ATENÇÃO SENHORES/SENHORAS - CONDUTORES
P/ ZONAS: BRAGA, PORTO, COIMBRA E LISBOA
Máfia de Leste - (Grupos Romenos)
SE DE NOITE TE ATIRAREM UM OVO CONTRA O PARA-BRISAS (O RECONHECERÁS POR A COR AMARELA, JÁ QUE A CLARA TALVEZ NÃO A DISTINGAS):
-- MANTÉM A CALMA E ACELERA
-- NÃO USES O LIMPA PARA-BRISAS
-- JAMAIS DEITES ÁGUA NO PARA-BRISAS
-- ACELERA E FOGE, QUE OS LADRÕES ESTÃO POR PERTO.
mas sobretudo não percas os nervos usa o telemóvel, se for necessário.
EXPLICAÇÃO:
O ovo com água, ao unir-se, formam uma substância viscosa como o leite, na qual te vai impedir de ver por onde vás, tapando a visão em cerca de 90% e serás forçado a parar por esse sitio onde circulas ai serás vítima de roubo. Esta é a última modalidade que os ladrões inventaram.
AVISO DA PSP COM PEDIDO DE ENCAMINHAMENTO
Em Espanha já houve algumas queixas que estes indivíduos de origem romena roubaram bebés do banco traseiro dos carros.
Enquanto um a toca ao lado do condutor, um cúmplice vai por trás e rouba a criança, vendendo-as depois para pais que desejem adoptar noutros países. Passem este e-mail ao maior número de amigos e conhecidos e futuramente, tenham cuidado com estes indivíduos.
Tranquem sempre as portas e fechem os vidros quando eles se aproximarem e desconfiem do aspecto simpático, pois normalmente são perigosos criminosos.
Divulguem este e-mail o mais que puderem e ajudem-nos a combater esta praga, porque amanhã pode ser um de nós.

domingo, 29 de junho de 2014

0 Atenção partilhem isto para todos os amigos e família.

Aconteceu e pode voltar a acontecer:

Um ladrão roubou, há dias, a mala de uma senhora, contendo os seus cartões de crédito, multibanco e telemóvel.

10 minutos mais tarde, a senhora ligou para o marido, utilizando um telefone fixo, para contar o que lhe tinha acontecido.

Resposta do marido:
- Eu recebi um SMS teu a perguntar qual era o PIN do teu multibanco e do teu cartão de crédito porque não te lembravas e eu respondi-te há poucos instantes!

Alarmados, ambos foram de imediato ao banco onde foram informados, pelo gerente, que todo o seu dinheiro havia sido
levantado e que a conta estava a zeros.

Também tinham sido utilizados os dois cartões de crédito para compras e adiantamentos, e ambos também estavam a zero, esgotados todos os limites de crédito possível.

O ladrão utilizou o telemóvel para enviar o SMS ao marido da senhora, uma vez que na lista de contactos do telemóvel ele constava como "Amorzinho" e, assim, foi fácil encontrar o contacto que pretendia.

Em menos de 20 minutos o ladrão e os seus cúmplices limparam a conta bancária e o saldo dos cartões de crédito da senhora, mais o limite de crédito.

ATENÇÃO:

- Nunca reveles através do telemóvel, ou de outro meio de comunicação (e-mail, chat, etc.) os dados seja de quem for.

- Evita usar nomes como: Casa, Amor; Amorzinho, Marido, Esposa,
Pai, Mãe, etc..

- Quando receberes via SMS algum pedido de informação (número
de PINS, morada de casa, se uma amiga está em casa, etc.),
confirma primeiro antes de responderes, ligando de volta e fala com
a pessoa que está a pedir a informação.

- Confirma sempre de viva voz, a marcação de encontros
inesperados. Pode ser que te queiram emboscar nalgum lugar, para
te assaltarem.

- Evita sempre limites de cartões de crédito muito altos. No caso de haver um azar muito mais teremos que pagar.

Partilhem isto para todos os amigos e família !

domingo, 20 de janeiro de 2013

0 5 estratégias que permitirão aos governos a vigilância dos cidadãos

Manequins, sistemas de gravação de som nos transportes públicos, relógios de ponto biométricos são algumas das novas estratégias de vigilância que ultrapassam tudo o que até então se tinha imaginado sobre isso.

 

A monitorização é, em certa medida, um dos pilares de qualquer governo, embora um tanto utópico, ou melhor, distópico  para manter uma sociedade controlada, mas daí à subversão e aproveitamento ilícito, nos dias de hoje sabemos que é  um caminho muito curto.
Ao longo da história, existem várias tácticas implementadas com este fim, mas nos dias de hoje, com o nível de desenvolvimento tecnológico, que trouxeram os dispositivos e tecnologias emergentes, cria-se um problema que desafia a imaginação até do mais paranóico.
Descrevemos em seguida, apenas cinco dessas estratégias, sendo que a maioria se irá iniciar provavelmente nos Estados Unidos, mas, como tantas outras coisas que são exportados deste país, possívelmente veremos a sua propagação aos países que mantiverem os EUA como modelo social.
Autocarros e carros que ouvem o que diz
Depois de garantir a omnipresença por meio de milhões de câmaras, praticamente distribuídas pelas principais cidades do mundo, o som parece ser a próxima ambição para as autoridades.
Em várias cidades dos EUA, incluindo San Francisco e Oregon, e noutros países, como Atenas (Grécia) e na Geórgia, há planos para serem instalados gravadores de áudio em sistemas de transporte público que filtram o ruído de fundo e gravam as conversas dos passageiros.
Manequins observando transeuntes
Os manequins poderão servir brevemente para fazer mais do que exibir roupas em lojas de pequeno e grande porte. Tanto nos EUA como na Europa, existem empresas que estão a instalar nos manequins câmaras escondidas e tecnologia de detecção de rosto, fabricados pela empresa Eyesee.
Relógios biométricos
Relógios biométricos são já uma realidade por todos os lados do mundo e destinam-se ao controlo dos trabalhadores.
Crianças com Chips integrados
A implantação de chips e outros dispositivos de localização em crianças sob o pretexto de segurança, é de alguma forma normalizar a vigilância extrema e a facilidade com que uma geração inteira a aceitará e estará completamente monitorizada.
Bancos de dados biométricos
A identificação de uma pessoa para além do seu nome, local de nascimento ou registo  civil de nascimento. Agora incluirá outros parâmetros, como leitura da íris, padrão de voz, reconhecimento facial e detalhes de cicatrizes e tatuagens, etc. Organizações como o FBI já tem extensas bases de dados com essas informações de seus cidadãos, o que legalmente pode partilhar com outros organismos e entidades nos Estados Unidos e internacionalmente.
 Fonte

 

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

0 MAIS PROVOCADORES INFILTRADOS DESMASCARADOS

“Casal” de polícias à paisana: o de casaco azul e o de casaco castanho. Estão os dois em todas as fotos. Guedes da Silva, director da PSP, junta-se ao Ministro Miguel Macedo no rol de mentiras. A porta da rua é a serventia da casa: RUA!


Ficamos assim a saber o que é uma “manobra táctica impecável” para o Director da PSP Guedes da Silva, que se junta assim ao Ministro Miguel Macedo e aos trambolhos violentos que até agora foram desmascarados, nesta que ja é a maior trapalhada deste governo:
Comunicado da plataforma 15 de Outubro lido hoje, em conferência de imprensa dada pelas 12h30 em frente ao Ministério da Administração Interna e macros das fotografias.

24 de Novembro – Quem são os violentos?

A Plataforma 15 de Outubro, internacionalista, apartidária e pacífica, reivindicando a reposição da justiça e da verdade no que diz respeito aos eventos do dia 24 de Novembro, declara:

  1. Testemunhámos e denunciamos a presença de polícia não fardada e não identificada na manifestação de 24 de Novembro em frente a São Bento. Estes elementos, entre os manifestantes, incitaram à violência com palavras e acções, ao contrário do que afirmou inequivocamente o Ministro da Administração Interna. Esta acção da polícia de um Estado de Direito e dito “democrático” configura uma ilegalidade e um crime. A acção da polícia nos piquetes de greve deste dia pautou-se igualmente pela ilegalidade e repressão, tendo-se apresentado nos locais onde se encontravam os piquetes armada com caçadeiras e metralhadoras, além de ter sido enviada polícia de intervenção para atacar e romper os piquetes.
  2. Repudiamos ser, consciente e propositadamente, apelidados de “delinquentes”, “criminosos” e outros adjectivos que claramente configuram um insulto pessoal e colectivo, com o único objectivo de anular a Plataforma 15 de Outubro como sujeito político. Foi impedida a realização da Assembleia Popular prevista para as 18h00, hora em que começaram os distúrbios. Está a ser construída, consciente e propositadamente, uma narrativa de terror social que visa claramente criminalizar o movimento social e os eventos da Greve Geral e manifestação que, tendo sido um grande sucesso, é minorada pela construção de factos e eventos de “violência” por parte das estruturas de poder.
  3. Manifestamo-nos contra a detenção avulsa de pessoas isoladas, outra tentativa de reforçar esta narrativa criminalizadora.
  4. Somos e continuaremos a reivindicarmo-nos como uma plataforma de acção política pacífica e não aceitaremos ser, como colectivo, associados a qualquer acto de violência que cidadãos em nome individual possam cometer na demonstração da sua legítima revolta.
  5. Rejeitamos a inversão total e propagandística da verdade que está em curso, procurando apelidar de violentas pessoas e movimentos que procuram defender os seus direitos e interesses de forma pacífica. A violência das medidas de austeridade é que é indesmentível e por mais cortinas de fumo que por ela sejam lançadas, está à vista de todo o povo. Acusamos o governo de violência, directa e indirecta, sobre o país.
  6. Em resposta a esta campanha vergonhosa, informamos que convocaremos uma nova manifestação, a realizar no final de Janeiro.
Por tudo isto, a Plataforma 15 de Outubro exige:
  • A divulgação pública das provas audiovisuais, filmes e fotografias que demonstram claramente a presença e acção provocadora de agentes da polícia não identificados e não fardados dentro da manifestação que ocorreu no dia 24 de Novembro.
  • A abertura, por parte das entidades competentes, de inquéritos que visem a investigação da acção policial, nomeadamente o uso de violência sobre manifestantes isolados e a instigação à violência por parte de elementos não identificados e não fardados da polícia.
  • Que os meios de comunicação social, que tão prontamente assumiram esta narrativa distorcida dos acontecimentos, dêm espaço às informações que têm vindo a público, cumprindo o seu dever de informar e repôr a verdade dos factos.
  • Que sejam retiradas consequências do facto de terem sido proferidas publicamente inverdades por parte do Ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, que reforçaram uma narrativa que não corresponde comprovadamente à verdade dos factos.
  • Que os detidos no dia 24 de Novembro sejam absolvidos, sendo tido em conta nos seus processos o facto de terem sido detidos de forma ilegal e abusiva através de agentes provocadores que, além do mais, incitaram delitos. Expressamos total solidariedade em relação aos companheiros e companheiras detidos nesse dia.
  • A criminalização da actividade política e da contestação é um sinal claro dos tempos em que vivemos, em que a Democracia é ameaçada e posta em causa justamente pelo Estado que tem como dever protegê-la. A tentativa de suprimir os acontecimentos históricos que foram a Greve Geral de dia 24 de Novembro e a expressão popular ocorrida na manifestação nesse dia serve de sinal de aviso às forças progressistas. Não permitiremos que vingue a tentativa de fazer com que o medo sufoque a legitimidade das reivindicações populares à dignidade e aos direitos e, como tal, estaremos novamente nas ruas, no final de Janeiro.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

0 Judiciária desmantelou rede de assalto a multibancos

Métodos utilizados envolviam explosivos. Operação decorreu na região da Grande Lisboa e na zona Centro.

 A Polícia Judiciária deteve 14 pessoas suspeitas de pertencerem a uma associação criminosa responsável por vários assaltos a caixas multibanco com recurso a explosivos.

À Renascença, fonte policial  revelou que os detidos, alguns de nacionalidade estrangeira, são suspeitos dos crimes de associação criminosa, roubo e furto qualificado, explosão e branqueamento de capitais, entre outros delitos. Os supeitos, com idades compreendidas entre os 20 e os 33 anos, têm todos antecedentes criminais.

A operação, que decorreu durante a noite e madrugada, teve lugar na região da Grande Lisboa e na zona Centro. Foi conduzida pela Unidade Nacional de Combate ao Terrorismo da Judiciária.

Até Setembro, ocorreram 138 ataques a caixas de multibanco em Portugal, enquanto no ano passado foram registados 113, de acordo com a Sociedade Interbancária de Serviços (SIBS).

O número de assaltos a caixas de multibanco aumentou face a igual período de 2011, mas a maioria dos ataques ocorreu sem sucesso.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

0 Despejo em hotel sem ordem judicial !

Invadiram a recepção, cozinha e bar e exigiram que os funcionários abandonassem o aparthotel. Foi o que fizeram, anteontem à noite, dois responsáveis e seguranças ao serviço do Grupo Luna Hotéis, proprietário do Clube Brisamar, em Alvor. Os despejados foram empregados e dirigentes da empresa Lado Verbal, que alugou o espaço em 2011.

A GNR foi chamada ao local, mas não actuou. O advogado da empresa inquilina, Paulo Freitas, considera que se tratou de "um acto de terrorismo permitido pela GNR" porque "não existiu ordem judicial". Segundo justificou ao CM fonte do Comando da GNR, "tratou-se de um diferendo cível em que a GNR não podia tomar posição".
Foram arrombadas portas e colocadas novas fechaduras, mas não houve agressões. Alheios à confusão estiveram vários clientes do aparthotel que assistiram a tudo sem saber o que fazer.
Ao que o CM apurou, existe um diferendo entre as partes relacionado com a falta de pagamento de dívidas. A GNR já tinha sido chamada a intervir duas vezes. "Há dívidas mas porque a outra parte não cumpriu o contrato. Mas isso não pode ser resolvido com coacção por parte de seguranças e sem recuso a tribunais", entende Paulo Freitas, que garante que "serão accionados os mecanismos legais para repor a legalidade".
O aparthotel Brisamar explora cerca de 100 apartamentos turísticos e gere os espaços comuns. O CM tentou ontem falar com um responsável do grupo Luna Hotéis, com sede em Albufeira, mas sem sucesso.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

0 Site do Freeport novamente na mira de hackers


Site do Freeport novamente na mira de hackers

O site do Freeport, anteriormente denunciado no Tugaleaks como tendo falhas de segurança, continua a proporcionar aos hacktivistas alguns dados que “espalham” posteriormente na Internet.


Não é um caso recente, já que o Tugaleaks denunciou em Julho passado que o site do Freeport continuava vulnerável passados 7 meses do ataque sofrido.
Agora, quase 10 meses passados, voltamos ao início e temos novamente dados expalhados na Internet.

Site do Freeport novamente na mira de hackers

O e-mail recebido pelo Tugaleaks apresenta dois links para o “pastebin”, um site conhecido pelo seu alojamento de código mas também por ser o “dump” de informações por vezes inacessível.
O primeiro link mostra alegadamente algumas password. Temos como exemplo, retirado do site, o user ‘Catarina’ com a password ’1234′.
O segundo link mostra também uma password do user ‘admin’.
Embora o Tugaleaks não tenha testado quaisquer dados, no artigo escrito há alguns meses sobre a contínua falha do Freeport, é apontado nos comentários o aparente sucesso da operação.

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

0 Chefe de segurança de Passos alvo de inquérito

O chefe de segurança do primeiro-ministro Passos Coelho vai ser investigado pela Inspeção-Geral da Administração Interna, depois de ter impedido a filmagem de um repórter de imagem ao serviço da TVI.


A Inspeção-Geral da Administração Interna vai abrir um inquérito à tentativa de intimidação de que foi alvo o repórter de imagem da TVI, na quarta-feira, na deslocação do primeiro-ministro ao Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP), avança o semanário Expresso.
Um aluno terá assobiado e insultado Passos Coelho e, nessa altura, o chefe de segurança do primeiro-ministro retirou um indivíduo da entrada da faculdade e impediu o jornalista da TVI de filmar a situação.

0 O capanga de passos coelho que agrediu o repórter da tvi

Já haviamos postado aqui a notícia sobre um capanga/segurança do nosso "adorado " 1º Ministro, Pedro Passos Coelho ter agredido um repórter da TVI a uma deslocação a uma universidade de Lisboa.

Como não se vê no video e talvez por o mesmo repetir freneticamente " NÃO ME FILMAS A CARA" , por causa disso aqui fica bem explicitamente a carantonha do senhor para que todos possamos saber quem ele é

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

0 Segurança Governo sob protecção policial há pelo menos uma semana

Todos os membros do Governo estão sob protecção da polícia há pelo menos uma semana, depois de a contestação ao Executivo de Passos Coelho ter subido de tom, na sequência da apresentação das novas medidas de austeridade.

A Visão adianta que "a medida foi tomada após uma reavaliação do nível de ameaça sobre os membros do Governo".
"Reforçámos as medidas preventivas, como por exemplo a constituição de equipas avançadas que fazem vistorias aos edifícios no dia anterior à deslocação dos ministros", explicou um agente do Corpo de Segurança Pessoal da PSP, em declarações à Visão, frisando que “neste momento as solicitações são tantas que até existe dificuldade em gerir os horários dos polícias desta unidade"

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

0 Estripador de Lisboa começa a ser julgado em Novembro

O homem que há um ano confessou à jornalista Felícia Cabrita do SOL ser o 'estripador de Lisboa' deverá ser julgado em Novembro, por um tribunal de juri, pelo homicídio de uma jovem no ano 2000 em Aveiro.
Antes do início do sorteio dos 18 cidadãos que poderão vir a integrar o tribunal de júri, o juiz Vítor Soares referiu que deverá marcar o início do julgamento para novembro, mês em que perfaz um ano da detenção de José Guedes.
Até lá, o magistrado espera que sejam feitas as perícias que foram requeridas pela defesa de José Guedes, nomeadamente uma perícia psiquiátrica e um exame ao diário do arguido, para determinar quando é que o mesmo foi escrito.
Os 18 eleitores (12 homens e seis mulheres) que foram hoje selecionados para integrar o tribunal de júri serão notificados para compareceram, na segunda-feira, no Tribunal de Aveiro para serem ouvidos individualmente.
O Ministério Público (MP) pode rejeitar dois e a defesa de José Guedes outros dois. Dos 14 restantes, caberá ao juiz-presidente eleger oito: quatro efetivos e quatro suplentes.
O tribunal de júri intervém no veredicto e na sentença determinando, por isso, tanto a culpabilidade do arguido como a sanção.
José Guedes, que se assumiu como o 'estripador de Lisboa', foi detido em novembro do ano passado pela Polícia Judiciária, por ser o principal suspeito da morte de uma jovem em 2000, nos arredores da cidade de Aveiro.
O arguido, que se encontra em prisão preventiva no estabelecimento prisional de Aveiro, está acusado de homicídio qualificado.
Segundo o despacho de acusação, assinado pelo procurador Jorge Marques, da comarca do Baixo Vouga, em data incerta, mas anterior às 17:00 de 16 de janeiro de 2000, José Guedes abordou a vítima no lugar da Póvoa do Paço, em Esgueira, com o pretexto de com ela manter relações sexuais remuneradas.
A jovem terá então sido conduzida a uma casa isolada em construção, na Rua dos Poisios, onde alegadamente José Guedes lhe desferiu diversos golpes que a atingiram na cabeça e lhe apertou o pescoço, causando-lhe lesões fatais.
O MP concluiu que o arguido agiu livre e conscientemente, com intuito de a matar.

0 Tráfico Humano: 23 casos confirmados em Portugal

O Observatório de Tráfico de Seres Humanos (OTSH) sinalizou 71 casos de tráfico em 2011, mas apenas 23 foram confirmados, a maioria dos quais sobre homens vítimas de exploração laboral.
Os dados foram divulgados hoje pela secretária de Estado dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade na conferência "Servidão Doméstica e Mendicidade: Formas Invisíveis de Tráfico para Exploração Laboral», que os considerou «estranhos».
Dos 23 casos confirmados pelo observatório, 15 são relativos a homens vítimas de exploração laboral, oito a mulheres para exploração sexual e três a crianças.
Para Teresa Morais, estes números «não revelam um crescimento significativo do tráfico nos últimos anos», mas sim «um baixo número de casos detectados e confirmados de vítimas mulheres para exploração sexual e uma predominância de casos relativos a homens para exploração laboral».
«Não é que me surpreenda que a exploração laboral num contexto de crise como vivemos na Europa e em Portugal tenha expressão estatística, o que me surpreende, pelo contrário, é que sejam tão poucos os casos sinalizados e confirmados de mulheres vítimas de tráfico para exploração sexual», sustentou aos jornalistas, à margem da conferência.
Como «explicação possível» para esta situação, que também acontece noutros países, apontou o facto «de poder haver outros tipos de crime que possam estar a engrossar as suas estatísticas à conta do tráfico para exploração sexual dada a dificuldade de prova do crime do tráfico».
«O que pode estar a acontecer desde há vários anos é que perante a dificuldade de provar um crime de tráfico, muito complexo, haja situações em que o crime é qualificado de lenocínio, associação criminosa, auxílio à imigração ilegal em vez de entrar no crime de tráfico para exploração sexual», justificou.
Para Teresa Morais, esta situação tem de ser «clarificada e evitada», até porque a moldura penal do crime de tráfico é bastante mais pesada do que o lenocínio.
«O resultado disto é que podemos estar a punir com ligeireza criminosos que praticam crimes mais graves a que deviam corresponder penas mais pesadas», afirmou, considerando que algumas molduras penais, nomeadamente na área do abuso sexual das crianças e no tráfico, deviam ser agravadas.
Contudo, para a secretária de Estado o problema em relação ao crime de tráfico «nem é tanto o da moldura penal», mas não haver «condenações efectivas em número significativo».
Alertou ainda que a crise económica que «potencia formas de exploração, designadamente no âmbito laboral, e torna os mais pobres e mais frágeis ainda mais vulneráveis a essa exploração».
«É, portanto, necessária uma redobrada atenção a estas situações e uma especial preparação dos técnicos envolvidos nas inspecções e investigações», nomeadamente da Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT), defendeu.
Teresa Morais lembrou ainda os 255 casos de mendicidade de crianças identificados pelas comissões de protecção de crianças e jovens, alertando que os menores estão sujeitos a todas as formas de exploração: laboral, sexual, tráfico para extracção de órgãos, servidão, casamento forçado, compra e venda para adopção.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

0 Militares avisam Governo que estão com a população contra a austeridade

Militares admitem endurecer as manifestações de descontentamento e já marcaram um encontro nacional para 22 de Outubro. 

A Associação Nacional de Sargentos (ANS) reagiu hoje às novas medidas de austeridade anunciadas ontem pelo Governo e que vão fazer parte do Orçamento do Estado para 2012.
Ao Económico, O presidente da ANS diz que "já há muito tempo" que os militares estão "a preparar uma série de iniciativas". E "se alguma dúvida existia na mente dos mais crédulos, as afirmações de Passos Coelho deitaram abaixo qualquer dúvida".
António Lima Coelho lembra que "há meses atrás, na oposição, Passos Coelho disse a Sócrates, na altura primeiro-ministro, que cortar nos subsídios era um disparate" e acrescenta: "Nós temos de ter memória, não podemos continuar a ser adormecidos com conversas bem ditas".
Por isso, no próximo dia 22, oficiais, sargentos e praças vão realizar um encontro nacional. "E este não é um encontro que se encerra em si mesmo, dado que poderão ser encontrados outros caminhos, quer sejam de demonstração de mau estar quer sejam de reiterar a disponibilidade para com quem está no poder de encontrar soluções para todas as partes", sublinha António Lima Coelho.
É que, segundo o responsável, as novas medidas de austeridade anunciadas ontem por Passos Coelho, "põem em causa os direitos constitucionais e inclusive de soberania" do país, sendo que "o corte dos subsídios é um agravamento de uma situação que já era muito difícil".
"As revoluções não se anunciam"
António Lima Coelho admite que "para o cidadão comum é muito difícil não conseguir cumprir os seus compromissos, mas para um militar que está obrigado a cumprir com as leis da República é muito mais grave".
Os militares garantem assim que "estão ao serviço do povo português e não de instituições particulares", e avisam: "Que ninguém ouse pensar que as Forças Armadas poderão ser usadas na repressão à convulsão social que estas medidas poderão provocar".
Questionada sobre um possível endurecimento dos protestos por parte dos militares, a Associação avança que "as revoluções não se anunciam, quando chegam, chegam porque têm de chegar, mas espero que a bem do Estado de direito que nunca um cenário desses se venha a pôr", conclui.
Recorde-se que no mês passado Passos Coelho fez questão de frisar, no discurso que escolheu para a sessão de encerramento das Festas do Povo, em Campo Maior, que "em Portugal, há direito de manifestação, há direito à greve. São direitos que estão consagrados na Constituição e que têm merecido consenso alargado em Portugal".
No entanto, avisou na altura o primeiro-ministro, "aqueles que pensam que podem agitar as coisas de modo a transformar o período que estamos a viver numa guerra com o Governo", quando o que existe é "uma guerra contra o atraso, a dívida e o desperdício", esses "saberão que nós sabemos dialogar, mas que também sabemos decidir".

0 Vereador acusado de agredir GNR perde dois pelouros

O vereador da Câmara de Odivelas Hugo Martins (PS), detido no início do mês no Algarve por alegada agressão a uma patrulha da GNR, vai perder dois dos três pelouros que detêm no executivo, anunciou hoje a autarquia. 


Em comunicado, a Câmara de Odivelas refere que Hugo Martins, que era responsável até à data pelos pelouros das Obras Municipais, dos Transportes e Oficinas e do Desporto, vai deixar de deter os dois últimos devido à "ligação entre o seu conteúdo funcional e os factos publicamente noticiados".
A autarquia refere que os agentes políticos e titulares de cargos públicos devem assumir os impactos públicos, "mesmo quando tais impactos decorram de acontecimentos da esfera da sua vida privada".
O pelouro dos Transportes e Oficinas vai ser assumido pela presidente da Câmara, Susana Amador, enquanto o do Desporto será atribuído ao vereador Paulo César, que detém também os da Gestão e Ordenamento Urbanístico, Proteção Civil, Fiscalização Municipal, Tecnologia, Informação e Conhecimento e Projetos Especiais e Energia.
A autarquia refere que esta situação vai vigorar até "ao cabal esclarecimento dos factos ocorridos pelas instâncias judiciais".
Hugo Martins foi detido no dia 01 de setembro depois de se envolver num acidente em Vale de Éguas, Almancil, no Algarve.
O autarca, também líder da concelhia do PS de Odivelas, não terá respeitado um sinal de stop e embateu numa outra viatura, provocando dois feridos ligeiros. O vereador terá ainda alegadamente agredido os agentes da Guarda Nacional Republicana que posteriormente acorreram ao local.
Hugo Martins, que se recusou a fazer o teste de alcoolemia, foi algemado e detido no posto da GNR de Loulé.
O autarca foi posteriormente presente ao Tribunal de Loulé, tendo-lhe sido decretada como medida de coação termo de identidade e residência.
A agência Lusa tentou contactar o vereador Hugo Martins para obter uma reação, mas tal não foi possível até ao momento.
Este é o segundo caso policial que envolve o vereador da Câmara de Odivelas desde que tomou posse, em 2009.
Em dezembro de 2009,áHugo Martinsádespistou-se na circular externa de Lisboa (CREL) e foi detido, com 1,67 gramas de álcool por litro de sangue, por agredir agentes da GNR.
 

NOTÍCIA TUGA Copyright © 2011 - |- Template created by Notícia Tuga - |- Powered by Notícia Tuga