Mostrar mensagens com a etiqueta Tugaleakes. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Tugaleakes. Mostrar todas as mensagens

domingo, 19 de abril de 2015

0 Tugaleaks: quem o quer destruir e porquê?

ARTIGO RETIRADO DO SITE TUGALEAKS
Olá,
O meu nome é Rui Cruz e sou o diretor de informação do Tugaleaks. Criei o Tugaleaks em finais de 2010 para divulgar informação que o mainstream media não divulga.
Hoje, vítima de uma perseguição pela Polícia Judiciária e pela sede de vingança do Ministério Público, impedido de aceder à Internet por uma juíza de instrução que não percebia absolutamente nada do tema que julgava, venho esclarecer alguns pontos que ficaram de fora do que foi dito pelo mainstram media em relação à operação caretos.
Em suma, venho enumerar, através desta mensagem escrita neste órgão de comunicação social por mim, mas publicada pela minha irmã (já que eu não posso aceder directamente à rede das redes), quem quer destruir o Tugaleaks e os motivos para tal.
Assim, sem ordem particular, as entidades e pessoas que querem ver o Tugaleaks acabado são:

1 – POLÍCIA JUDICIÁRIA

A PJ tem desde 2012 tentado “calar” o Tugaleaks e, especificamente, eu. Conforme descrito neste site, o Inspector-Chefe Rogério Bravo sempre foi um assíduo visitante ao meu domicílio e da minha vida. Em relação à busca de 2012, onde eu achei terem existido indícios de não cumprimento legal e formal de algumas medidas, apresentei meses mais tarde uma queixa contra o referido inspetor. Essa queixa foi arquivada recentemente, mas o inspetor quando inquirido disse desejar “procedimento criminal”. O processo NUIPC é 832/14,2TASTB foi arquivado porque era a palavra deste inspetor contra a minha.
Mas em Janeiro desde ano, dias depois de saber que o meu processo de 2012 onde existiu a primeira busca tinha sido arquivado, o Inspector-Chefe que presidiu ás duas buscas efetuadas à minha casa (a de 2012 e a da operação C4R3T0S) escreveu isto numa resposta minha neste grupo do Facebook e neste post: “worta sempre”.
rogerio-bravo-pj

O que considerei um “mau perder” quando foi sado o slogan da Worten, hoje considero uma ameaça. Até porque segundo se diz o processo C4R3T0S estava em investigação há vários meses, e ele saberia já da intenção de uma nova busca. Ainda assim, o “worta sempre” deixa muito a desejar.
Além de deixar muito a desejar, mas sobretudo no que toca ao brio profissional e na perseguição a um cidadão, é o facto de que a mesma pessoa que tinha uma queixa contra ele, que pediu um processo-crime contra mim, que me dise para “voltar sempre”, ter ido novamente à minha residência fazer uma busca quando existiam 70 pessoas altaqmente especializadas para o fazer. Só podia vir ele? Não há conflito de interesses? Ninguém vê aqui um grave conflito de interesses?
Já agora que ficou o link para o comunicado de imprensa, notem que o título diz “pela prática de”. Outros comunicados como este no dia seguinte diz “fortemente indiciado”. Eu, pelos vistos, sou condenado antes de ser julgado. Foi “pela prática de” e nunca “pela presumível prática de”. O reflexo disso fez com que eu, o único arguido conhecido, tivesse uma visibilidade negativa. Julgado pela PJ, portanto.
Já nem sequer vou falar nos pares de estalos que deram a pelo menos um menor de idade, sem a presença do advogado, para obterem o código do telemóvel dele e obterem provas absolutamente circunstanciais contra mim porque isso sim seria descer muito baixo se fosse verdade. O problema é que é verdade. E tudo isto feito alegadamente pela equipa do referido inspector.
O tal inspetor é uma pessoa tão idónea que até anunciou a operação, com uma imagem de caretos, no seu perfil pessoal antes dos comunicados de imprensa. Quando me mostraram isso dias depois, eu fiz as contas e tendo em conta uma ida de Lisboa ao Pinhal Novo, isso foi “anunciado” antes de ir para a minha casa.
rogerio-bravo-policia-judiciaria

Deve ser tudo coincidência. Não há perseguição alguma… eu estou sempre a imaginar coisas.
Em suma, a PJ é a primeira interessada em perseguir e destruir o Tugaleaks, fruto, em parte, do referido inspetor que chefia a área do cibercrime nesse órgão de polícia criminal.

2 – O MINISTÉRIO PÚBLICO

Vamos imaginar que eu sou assaltado. Tenho o direito de pedir ao juiz a pena que eu quiser para o meu assaltante? Passa-se o mesmo com o Ministério Público.
O Procurador Pedro Verdelho teve os seus dados expostos no dia 25 de Abril de 2014, fruto de ataque informático à Procuradoria Geral da República. Não tem, por isso, distanciamento suficiente para poder pedir uma medida de coação, que é gravíssima no meu caso, e só no meu caso porque sou a única pessoa que trabalha com Internet (todos os outros, os que trabalham, não o fazem com recurso à Internet).
Ele sabe, e a PGR sabe, que foram embaraçados e humilhados aos olhos da opinião pública. O Tugaleaks deu a notícia, nada mais. Alias, vale a pena citar que “Repórteres sem Fronteiras relembra que a divulgação de actos supostamente ilegais não constitui por si só um delito passível de detenção”.
A falta de distanciamento, aliados ao facto de, como a juíza não percebia absolutamente nada do tema Internet, existir uma certa pressão abstrata sobre quem efetivamente sabia (e, efetivamente, o Procurador percebe), tornam o MP num peso procesual demasiado grande.

3 – COMISSÃO DA CARTEIRA PROFISSIONAL DE JORNALISTA

Enquanto os Repórteres sem Fronteiras e outras instituições estrangeiras vieram em minha defesa em poucas horas, a Comissão da Carteira Profissional de Jornalista e também o Sindicato dos Jornalistas (contra estes nada tenho, mas é importante inclui-los nesta frase) mantiveram-se calados. Isto é fruto da classe de jornalistas que existe atualmente e que, esmagada pela indústria do “agora” e do “momento”, recusam-se a investigar o que estás por trás da operação C4R3T0S porque leva tempo e dinheiro.
Mas o que não se pode admitir é que o Presidente da CCPJ tenha feito, a julgar pelo que está escrito no artigo, falsas e insultuosas declarações nomeadamente aqui quando diz que “Pedro Mourão não revela por que razão havia suspendido a carteira a Rui Cruz, mas refere-se ao seu comportamento como sendo quezilento e um pouco estranho”. A minha carteira encontra-se válida, e estranho é o comportamento da CCPJ que no último ano teve duas queixas na Comissão de Acesso a Documentos Administrativos por recusa na divulgação de dados públicos que eu iria usar em investigação jornalística, faltando à transparência a que uma instituição do estado é obrigada. As queixas podem ser vistasaqui aqui.
Sobre esta matéria, no mesmo artigo pode ler-se que o presidente da CCPJ não vê com bons olhos os equiparados e que sendo o equiparado mais “conhecido” serei por analogia um alvo a abater. Pena que tenham que recorrer a ilegalidades para o fazer.
Por fim, foi a queixa da CCPJ que motivou em grande parte a minha detenção. A PGR não foi, no entanto, capaz de identificar um IP, uma data ou um método do meu alegado ataque.
Assim, posso apenas concluir que a queixa da CCPJ, que demorou apenas um mês a ser “resolvida” (tempo record!) foi feita com a noção, errada, de que eu os ataquei e que esta entidade não vê com bons olhos os equiparados a jornalistas.


E AGORA?

Estou a receber 14EUR por dia do subsídio de desemprego. Na Internet (fora o meu outro trabalho por conta de outrem) ganhava mais do que isso por dia e como disse não estou sequer a contar com o outro trabalho que tinha. Os meus fundos que tinha de reserva estão, a pouco e pouco, a acabar. Já são várias as instituições europeias que apoiam jornalistas a quem pedi ajuda no sentido legal e económico. Algumas, como a European Federation of Journalists, já ajudaram na defesa legal. Outra ajuda, humana, tem sido a do escritório de advogados Jaime Roriz que me defende e que está (e eu também) à espera do recurso sobre a medida de coação. Mas isso ainda demora mais dois meses, e quantos mais meses demorar, mais preocupante se torna a minha situação.
O Tugaleaks vai voltar? Vai. Não sei é quando. Mas que vai voltar não pode haver dúvida alguma.
Nunca fiz ataques informáticos. Estou acusado de fazer ataques informáticos. Mas sem provas de tal facto.

Pela verdade da informação.
Rui Cruz
+351 96 827 1502 (provavelmente sob escuta)
PS: e isto tudo num ano de eleições onde o Tugaleaks iria dar a conhecer algumas informações que não estão a ser passadas no mainstream media… mais outra coincidência
— Publicado por Patrícia Morais Cruz

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

0 Deputados Portugueses custam 980% mais que deputados Americanos

assembleia da republica1 Deputados Portugueses custam 980% mais que deputados AmericanosA ideia de que os Portugueses pagam mais pela política do que “os outros” (leiam-se: todos os outros) não é nova. Mas houve um blog que decidiu fazer as contas.
O blog “Eu acuso” publicou no início de Agosto, usando fontes da Assembleia da República e do Congresso dos Estados Unidos da América, algumas contas que se podem fazer com dados público.
A conclusão, é que os Portugueses pagam quase mais 1000% a mais pelos deputados do que os Americanos.

As contas

Segundo o blog “matematicamente, os deputados americanos em salários custam a cada um dos norte-americanos 23 cêntimos de euro, enquanto os salários dos deputados portugueses custam a cada um dos portugueses 98 cêntimos“, ou seja, “comparativamente e em proporção aos PIB per capita norte-americano e português, cada um dos deputados portugueses custa per capita 9,8 vezes, ou 980%, mais do que os seus homólogos norte-americano“.
O blog realça ainda que “aqui não contámos com as ajudas de custo de representação, viagens e alojamentos pagos, cartões de crédito, subsídios de renda e de alojamento, e demais subvenções e subsídios no exercício e após o fim do exercício para os deputados portugueses, que podem muito facilmente duplicar a sua remuneração global”

Consulta as contas que levaram a esta afirmação




As despesas da AR

O Tugaleaks tem noticiado várias informações sobre o funcionamento da Assembleia da República, entre elas:
Assembleia da República gasta mais cinco milhões de euros em 2014: existe neste ano mais despesas de financiamento, despesas de capital, condecorações, e até “vestuário”.
Assembleia da República gasta praticamente 30 euros por dia só em água engarrafada: aquilo que um cidadão não ganha por dia, gasta a Assembleia da República apenas em água engarrafada.
Passos Coelho não quer “independentes” como deputados na Assembleia da República: o próprio Primeiro–Ministro indicou á RTP que não queria pessoas independentes na Assembleia da República por causa da “ingovernabilidade”.

O blog “Eu acuso” termina a sua análise com uma pergunta pertinente: “Portugal, um país falido e ultra-endividado, pode ainda suportar luxos destes com os seus deputados?”

quinta-feira, 26 de junho de 2014

0 As promoções do Continente continuam em grande estilo !

Parece que depois da “bronca” com o logotipo da ZON e a comparação com um prato do Continente, que a Sonae continua a tropeçar em pequenos pormenores linguísticos.
Já é frequente verem-se imagens partilhadas pelo Facebook com anúncios pouco relevantes para a gramática. Já se ofereceram “meninas” congeladas a 1.99EUR, promoções de bicicletas que, de 99.99EUR passam para 219.99EUR ou, a mais recente, colchões que mais parecem testículos.
Toda esta informação, publicada em várias zonas do país pelos hipermercados Continente, parece ser verdadeira, tendo em conta os reports nas redes sociais.

Por outro lado, surgiu também em meados do ano passado apareceu uma imagem onde era mostrado o IVA diferente para um esparguete de marca comparado com o esparguete da marca “é”, a marca comercializada exclusivamente pelo Continente.

Desde Janeiro que o Tugaleaks tenta contactar o Continente para obter esclarecimentos. Tanto a Sonae como a BA&N, empresa consultora de comunicação que trabalha com o continente. No nosso pedido eram questionadas quantas reclamações o Continente teve em 2013 e qual o impacto real edstes erros que aparentemente se têm manifestado com frequência. Tanto a Sonae como a empresa, que diz ser “especialista em Comunicação Financeira, Corporativa, Relações Públicas e Gestão de Crises“, remeteram-se ao silêncio.

O Tugaleaks divulga as imagens mais marcantes dos erros do Continente.
asda10492525 10202001496913235 5340361763114161455 n Algo está errado com as promoções no Continente
995029 10152188845247375 72834766 n Algo está errado com as promoções no Continente
P tas congeladas Continente Algo está errado com as promoções no Continente
talao continente iva esparguete Algo está errado com as promoções no Continente

 Fonte: Tugaleaks

domingo, 15 de junho de 2014

0 174 mil euros de dinheiros públicos usados para comprar… ratos

Centro de Neurociências e Biologia Celular gastou 174 mil euros em ratos “para experimentação animal”. Há países onde há uma década que se deixaram de usar ratos.
Podíamos estar a falar em ratos para computador, já que Coimbra, o local onde está o Centro de Neurociências e Biologia Celular, teve há dois anos um contrato de 12 mil euros em Pen Drives. Mas estamos mesmo a falar de animais, vivos ou mortos, que serão usados para experiências inconclusivas.
O Tugaleaks contactou o Centro de Neurociências e Biologia Celular para obter explicações, no entanto como a Instituição é Privada sem fins lucrativos e de utilidade pública não está sujeita à Lei de Acesso a Documentos Administrativos. A entidade informa no entanto que é “uma Instituição que se baseia em princípios de boa gestão dos dinheiros públicos assim como no respeito cabal dos princípios da publicidade e transparência”.
No entanto, questionada sobre a finalidade dos ratos comprados, quais são os testes a efectuar, quantos são os ratos, e se os mesmos estiverem vivos qual a taxa espectável de mortalidade bem como se foram feitos estudos, e se sim, quais sobre alternativas aos testes em animais, a entidade que se pauta pelos princípios da transparência resolveu não responder.
O facto de serem ratos pelo nome do ficheiro colocado no site BASE ser “CONTRATO RATOS.DOC”, ou nem os animais tínhamos conseguido apurar.

Animais já não se usam para testes

Existem inúmeras alternativas que se podem fazer para se evitar a morte de animais. A responsável da página de Facebook Diga não aos testes de animais comentou com o Tugaleaks que “existe alternativa, como simuladores, testes in vitro, pele artificial, software entre outros” e que a “venda de animais a laboratório acho injusto e cruel”.
A mesma opinião, mais técnica, tem Danielle Tetü Rodrigues, vice presidente do Instituto Abolicionista Animal com sede em Salvador, Brasil. “o Brasil a UFRGS [Universidade Federal do Rio Grande do Sul]não usa animais há mais de cinco anos, em Londres não usam há mais de uma década“,
Ainda sobre as alternativas, Danielle conta-nos que “é preciso compreender que os animais são usados em experimentos científicos, em testes diversos e em aulas práticas em algumas universidades. Nestas três áreas em que os animais são usados, já se vislumbram vários métodos alternativos que os substituem integralmente e possibilitam alcançar o resultado com a mesma, e até muitas vezes, com mais eficácia ainda. Esses recursos alternativos são viáveis materialmente, mas também sob o aspecto econômico. Dentre tais meios, destacam-se a utilização de cadáveres especialmente preparados, meios virtuais e modelos anatômicos e simuladores, softwares 3D, experiências in vitro, enfim, uma gama de métodos que podem livrar os animais de uma prática obsoleta e cruel, como é a vivissecção”.
Estes testes referidos acima “já foram e são utilizados, apresentando resultados positivos em todos os campo”.

Em Portugal, ainda recorremos à vivissecção, o ato de dissecar animais, normalmente vivos, para testes. E parece que ainda recorrermos a dinheiros públicos para isso.
São 174 mil euros, sem IVA, entregues ao laboratório Charles River.

FONTE: Tugaleakes

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

0 Site de downloads Né & Miguelito volta ao activo com novos administradores

Um dos maiores sites nacionais de downloads volta a ficar disponível, agora com nova gerência. O Tugaleaks conseguiu falar com a equipa e obter algumas reacções.
Em Março deste ano o site Né & Miguelito fechou devido às acções da ACAPOR. Esta situação não era nova, já que em 2010 tinha acontecido exactamente o mesmo fruto da mesma acção da Associação do Comércio Audiovisual de Obras Culturais e de Entretenimento em Portugal.
Na altura, a ACAPOR pedia 80.000 mil euros, e como contou um dos administradores do site encerrado, “enviou uma carta registada através de um advogado deles a dizer que em vez da tradicional queixa conta desconhecidos no ministério publico iam fazer contra mim (…) e não queriam a pena de prisão, mas sim o pagamento dos prejuízos causados”.

Agora, parece que há um novo site, com o mesmo nome mas uma administração nova.
O Tugaleaks chegou ao diálogo com a equipa, que nos esclareceu os contornos deste novo site que, embora não tenha muitos dos uploaders antigos, vai ter certamente conteúdo igualmente interessante.
Porquê abrir um site com o mesmo nome de um fechado?
O site foi aberto com o mesmo nome, porque era um site de referência em portugal, e mesmo não sendo o mesmo staff não queremos deixar morrer a excelente comunidade que lá foi criada!
Temem a ACAPOR, MAPINET e outros, bem como o que podem fazer para vos fechar?
Sim temos consciência disso, mas como já anunciamos anteriormente a comunicação social, hoje eles fecham um servidor, amanhã abre um novo!
De que forma acham que estão protegidos?
Nunca primeira fase iremos proibir várias opções no fórum como por exem (mensagens privadas, acessos ao perfil dos outros utilizadores, e em breve iremos instalar um certificado ssl para garantir uma maior segurança!
Consideram que o que estão a fazer é uma espécie de serviço público, ou como vêm a vossa acção para com os Portugueses?
Não consideramos um serviço público, a nossa acção perante os portugueses é criar algo com um grande nome em Portugal como o Né-Miguelito. Apenas isso.

Pelas 13:00 de 15-12-2013 o site fica oficialmente aberto em Ne-Miguelito.net.

Ne-Miguelito.net 


Fonte : Tugaleaks

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

0 Estado apoia com mais dinheiro um deputado do que um aluno numa escola pública

Para as famílias carenciadas a refeição nas escolas é por vezes a melhor refeição do dia. Mas entre as escolas e a Assembleia, as diferenças são bastantes e estão á vista.
É meio-dia numa escola pública. O refeitório abre para almoço. Quem tem escalão A não paga nada. No escalão B são 80 cêntimos e quem não tem escalão paga menos de dois euros. Estes são os preços em três escolas na localidade de Caldas da Rainha do secundário. A ementa, publicada na Escola EBI Santo Onofre está desactualizada, pois só mostra resultados até 12 de Outubro. Mas a ementa é sempre a mesma: sopa, prato, guarnição com vegetais, sobremesa e pão.
Já noutra localidade da Linha de Sintra, numa escola primária, a comida é outra: peixe mal confeccionado, e uma refeição composta por um pedaço de peixe e duas batatas, tal como denunciado pelo Tugaleaks onde o pai de uma criança nos contou que a comida era “manifestamente insuficiente“.

No parlamento a história é diferente. O Semanário o Diabo relata que no início do ano lectivo o Governo disponibilizou um montante perto dos 55 milhões de Euros para as refeições escolares por todo o país. No entanto, só para os 230 deputados existentes na Assembleia, o valor foi cerca de 900 mil euros
Nas na assembleia não há “simples” fruta da época nem sopa de Alface. Os critérios da ementa é valorizada se houver perdiz, lebre, pombo torcaz, rola e similares, lombo de novilho, lombo de vitela, lombo ou lombinho de porco preto (bolota) e camarão/gamba grande (24 por Kg ou maior) e similares.
Por cerca de 10 euros os deputados podem comer na AR arroz de tamboril com gambas e salsichas em couve lombarda. Têm ainda direito a ume mesa de fritos, outra vegetariana, outra de doces e frutas e ainda uma de queijo, segundo apurou o Diabo.

Feitas as contas, se o mesmo dinheiro da AR (90 mil euros para 250 pessoas) fosse usado na mesma proporção e qualidade para as refeições escolares, seriam apenas servidas cerca de 15.000 refeições em todo o país.
A realidade é outra: há mais de 15.000 alunos e muitos pais não ganham 3.264EUR brutos como os deputados.

quarta-feira, 31 de julho de 2013

0 Cadela foi presa duas vezes a um carril na linha ferroviária do Douro

A primeira vez roeu a corta. O dono certificou-se que à segunda já não o fazia. Chama-se Melissa e foi salva de quem a queria ver morta.
Seis da manhã. O alerta é dado pelos maquinistas. Um deles conta ao marido de Cláudia Oliveira, que é também maquinista. Sabem que a Cláudia é dedicada à causa animal.
Segundo as palavras da Cláudia que publicou a situação no Facebook, o cenário era de uma “cadela esquelética, desnutrida, desidratada, ferida e AMARRADA COM UMA CORDA AO CARRIL, DEIXADA PARA MORRER DE UMA FORMA ATROZ”.

Conta ainda que “[c]onseguimos cortar a corda com uma pedra, dado que estava muito bem atada” e a Melissa, nome que deram à cadela, “simplesmente pulou para o meu colo de onde não queria sai”, pois a ajuda de um estranho pareceu-me, provavelmente, mais segura do que o abandono de um dono.
Já no veterinário, longe do perigo humano que a deixava praticamente à morte certa, ficou-se a saber que “está desnutrida e desidratada, tem ferimentos provocados pelo comboio (no focinho e costas) e possivelmente sarna”.

denuncia  Cadela foi presa duas vezes a um carril na linha ferroviária do Douro

A cadela foi vista duas vezes na linha do Douro. Uma no sentido Recarei-Trancoso e outra no sentido Trancoso-Recarei. A cadela terá roído a primeira corda que lhe puseram, mas que o dono deve ter voltado para acabar o “trabalho”.
O Tugaleaks contactou Cláudia Vieira que nos disse que a cadela está “a recuperar muito bem, já engordou 2 kg e é super dócil apesar de tudo”.
Existe uma Página de Facebook criada para dar conta do problema e a quem quiser colaborar, seja com donativos ou apoio, a página fornece os contactos de e-mail necessários. A recuperação da Melissa, embora um sinal positivo, nunca lhe vai tirar o susto que teve mas mais ainda a sorte que teve em ser salva.

denuncia  Cadela foi presa duas vezes a um carril na linha ferroviária do Douro

Cláudia queixa-se da lei em Portugal, afirmando que “[s]e a lei fosse mais dura e justa metade destes crimes não aconteceria”.
Esta situação é confirmada pela entrevista publicada pelo Tugaleaks em Maio deste ano onde o PAN – Partido dos Animais e da Natureza – afirmou que “animais não humanos partilham com o animais humanos o mesmo interesse em sobreviver, o mesmo interesse numa vida livre de sofrimento” e que apenas “as lutas de cães” são punidas criminalmente em Portugal, “com pena de prisão até um ano ou com pena de multa”.
As autoridades foram contactadas mas foi sempre “o jogo do empurra”.

Fonte : Tugaleaks

sexta-feira, 15 de março de 2013

0 SAF-T PT: chave de programa “leakada” e comerciantes com erros de facturação

O SAF-T PT, que veio revolucionar as “facturas” na restauração e não só, está longe de ser perfeito. Alias, é mais problemático do que perfeito.
Foi recentemente colocado no Pastebin uma informação com a chave privada de um dos programas mais usados para a facturação. Esta chave permite alterar facturas até um certo ponto.

O hacktivista 3×3|)cryPT disse no pastebin que “[q]uando o utilizador do programa é o produtor do software, a chave não é privada”, e as regrsa técnicas confirmam  a situação.
Neste PDF com detalhes técnicos sobre a forma de construção do programa, é indicado que “O produtor de software deverá assegurar que a chave privada utilizada para a criação da assinatura que é do seu exclusivo conhecimento, deverá estar devidamente protegida no software.”. Tal não aconteceu. Haverá alguma penalização para isto? Duvidamos.

Link para aceder à chave do programa


SAF-T PT continua a dar problemas aos comerciantes

O Tugaleaks conhece alguns casos em que os comerciantes receberam máquinas pedidas em 2012 apenas em meados de Feavereiro. Se fosse aparecer a inspecção, teria que haver uma prova (chamada mais de “boa vontade”) do fiscalizador em entender que a máquina foi pedida e ainda não chegou.
Outros comerciantes têm máquinas que não funcionam ainda na perfeição. Um café em Lisboa perto do Marquês de Pombal tem uma máquina que emitiu várias facturas com erro em Janeiro. As mesmas já foram entregues e ou mal contabilizadas ou não contabilizadas de todo. O problema estava no processamento do IVA. Segundo fontes desse mesmo café, uma das empresas que faz a manutenção da “nova máquina” de registos, apenas a 15 de Janeiro foi fazer a actualização da máquina para remover as vendas a dinheiro. Quanto aos erros de forma correcta do SAF-T PT, só foram resolvidos a 23 de Fevereiro, dois dias antes da obrigação de enviar para as Finanças a lista das facturas passadas no mês anterior.
Por outro lado, como a esmagadora maioria dos comerciantes de cafés, bares e outros establecimentos de comércio de comida não se encontram com as máquinas ligadas à Internet, as empresas que fazem actualizações quase diárias dos seus softwares têm que o instalar pessoalmente no cliente. Um bom exemplo de actualizações quase diárias é a empresa iECR que apenas em Março e até ao dia de hoje fizeram 6 actualizações.

O SAF-T PT a pode controlar a nossa vida
De acordo com este artigo escrito há algumas semanas, o SAF-T PT pode ser usado para controlar a nossa vida, saber informações dos hábitos de consumo, fiação política e religiosa.

sexta-feira, 8 de março de 2013

0 O carro incendiou em 2004… mas as Finanças querem o IUC a partir de 2008

O presidente do BES foi perdoado em vários milhões por “esquecimento”. O mesmo não acontece com António Ogando, um simples cidadão.
António Ogando era proprietário de um veículo que incendiou em 2004. Chamou, na altura, os bombeiros para tratarem da situação bem como foi dado conhecimento à PSP. António nunca mais se preocupou com o assunto.


Há cerca de poucos meses, as Finanças vieram exitir o Imposto Únicos de Circulação de 2008. Além de solicitado cinco anos depois (provavelmente, o tempo que as Finanças tem de atraso nas suas verificações) suscitou algumas dúvidas ao antigo dono do veículo.
Acontece que desde 2008 que o imposto automóvel deixou de ser por circulação – algo que um carro incendiado não podia fazer – mas sim por posse. O Imposto Único de Circulação, com a respectiva legislação, tornou mais rentável a cobrança de impostos para o estado.
O carro não existe, não tem inspecção, não tem seguro mas está em nome do António, e provavelmente é o que acontece com muitos outros portugueses.

O carro incendiou em 2004… mas as Finanças querem o UIC de 2008Reatório dos Bombeiros

Aquilo que podia ter sido um erro foi então explicado às finanças anexando cópias de documentos. Em resposta, de uma  intolerância extrema para com um, aparentemente, erro de informação, indicaram-lhe que teria que fazer o pagamento do imposto e das respectivas coimas.
O António pode ainda recorrer, inclusive para os meios judiciais, mas é certo que se verifica uma má vontade comparada com outros “casos” que passam nos media, a juntar pela resposta das finanças:

O carro incendiou em 2004… mas as Finanças querem o UIC de 2008


Presidente do BES perdoado

Em comparação com o caso anterior, temos Ricardo Salgado que foi perdoado três vezes pelo fisco, ou seja, a mesma entidade que se recusa a considerar as provas apresentadas da destruição do carro que António não pode possuir. Para alguns, existe uma “cidadania superior”.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

0 Conheça quem anda a colocar o NIF de Ministros na Internet

Chama-se UGnaziPT. Não tem a ver com “nazi”, mas sim com um grupo de hackers que nos USA se tornou famoso. Prometem começar a “destruir” brevemente.
Passos Coelho tem o NIF na Internet. Mas existe quem não tenha. Com o intuito de mostrar ao povo estas e outras informações, os UGnaziPT começaram a colocar NIFs que não estavam disponíves no Twitter.

O Tugaleaks entrevistou um dos seus membros que nos contou que a criação do grupo é simples e ideológica: “Começamos em Dezembro de 2012. A razao é simples, queremos mostrar tudo que há de errado nos nossos governantes, mostrar ao povo o que realmente se passa.”
Como é que obtém a maioria dos NIFs e informações que divulgam?
Toda a informação que divulgamos é obtida por nós, e na maioria da vezes já se encontra disponível na Internet, se necessário recorremos a engenharia social.
Consideram que neste momento se Passos Coelho e outros membros do Governo fossem “auditados” pelas finanças, podiam levar uma multa por não terem a cópia das facturas que pedem?
Como sabem, nunca aconteceria pois a corrupção é muita.
O que gostariam de transmitir ao povo português neste momento?
Continuem a lutar, exponham toda a podridão do nosso país, eventualmente os governantes abriram os olhos e respeitaram o povo.

Ministros podem ser multados

As facturas têm que ser guardadas durante algum tempo. Se houver uma fiscalização ás contas de vários Ministros, teoricamente, poderiam ser multados pois não têm as facturas guardadas.

Conheça quem anda a colocar o NIF de Ministros na Internet

Movimento “pedir factura para Ministros” imunda redes sociais

A imagem que o Tugaleaks publicou hoje de manhã com 3 NIFs recebeu mais de 4000 partilhas em apenas 4 horas. O movimento pelas redes sociais consolida-se com críticas ou aplausos, mas o sintoma é comum: ninguém quer ser obirgado a pedir ou multado se não pedir factura. Até recentemente foi criada uma página de Facebook com o nome Eu já pedi factura em nome de Ministros.
Quanto aos UGnaziPT, prometem brevemente começar a destruir e continuar a publicar informação.

UGnaziPT no Twitter

UGnaziPT no Facebook

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

0 DNS.PT não deixa expirar domínios do Governo Português

O domínio marcasepatentes.pt devia ter expirado hoje. Não expirou. Mais um domínio do Governo a ignorar regras de pagamento e de registo de domínios.
Segundo apurou o Tugaleaks, todos os domínios do Governo Português que expirem, a FCCN, detentora da gestão dos domínios .pt, mantém-nos activos.

DNS.PT não deixa expirar domínios do Governo Português

Já por duas vezes nos queixamos desta situação: uma no cavacosilva.pt já resolvida, e outra no fct.pt que ainda está por resolver.
Conforme anunciamos anteriormente, o Tugaleaks está na posse de informação sobre vários domínios .PT que expiraram e estão ainda activos. Isto é contra as regras dos domínios .PT e causa transtorno a qualquer cliente que pretenda comprar um domínio que esteja indevidamente online.
Seguimos a lógica e embora o DNS.PT nos tenha indicado que não existe uma “lista interna de excepções” conseguimos, chegar à conclusão de que tal não é completamente verdade.
O domínio fct.pt permanete ainda expirado, após aviso directo há dois dias ao DNS.PT e denúncia no nosso site há duas semanas. Mas hoje, voltou a supostamente “expirar” um domínio,
Pertencente ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI e o domínio marcasepatentes.pt devia ter expirado hoje de madrugada (ver whois), como outros não governamentais que o Tugaleaks estava a monitorizar o foram. Mas, não é de surpreender, tendo em conta que é um domínio do Governo de Portugal, que também não expira como todos os outros.
O Tugaleaks tem vindo a afirmar que esta prática tira honra a quem tem domínios .PT e acima de tudo faz com que a confiança num serviço deste Governo seja perdida (como se não houvessem razões para se perder a confiança no Governo).
Assim e no contexto da denúncia pública da situação, solicitamos uma audiência à Comissão Parlamentar de Educação, Ciência e Cultura, onde vamos apresentar estas e outras informações que fazem do registo de domínios actual e da sua chefia, uma organização perigosa para o futuro da Internet.
Vamos também ponderar uma queixa ao ICANN por práticas “além das regras” que o serviço DNS.PT está a efectuar.

DNS.PT com certificado SSL expirado

Como se tudo o que indicamos não fosse suficiente, já desde ontem às 15h que o DNS.PT tem um certificado SSL expirado. Ao contactar para a linha de apoio a clientes, dizem que “pode carregar em continuar sem segurança”. Basta entrar no site e confirmar.

DNS.PT não deixa expirar domínios do Governo Português
O certificado SSL é algo que, expirado, embora continue em parte a proteger a ligação, torna este aviso pouco digno de uma empresa de comércio eletrónico. Este é apenas mais um pouco desfavorável ao serviço DNS.PT que há meses sucessivos continua a brincar com os dinheiros públicos.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

0 Falha deixa câmaras de vigilância por todo o mundo expostas sem ser preciso passwords

Uma falha descoberta em 2012 foi agora exposta novamente para incentivar as pessoas a actualizarem o firmware. Existe um site que mostra a localização das câmaras.
A pouco e pouco estas câmaras estão a ser desligadas, ou seja, o firmware actualizado. Mas nada disso deixa passar o facto de durante um ano, estas câmaras terem continuadamente transmitido informações, via Internet, para quem as quisesse ver. Sem qualquer password, com apenas um browser e o IP afectado, consegue-se aceder em tempo real à câmara e saber a sua precisa localização.

 O Tugaleaks encontrou no dia de ontem quartos de bebés, empresas, escritórios de informática, pessoas acamadas e até casas de prostituição.
A empresa TrendNet lançou uma actualização de firmware mas poucos são as que o actualizaram.
Existiu um site com uma API do Google mais onde clicando num pin se abria o streaming, mas devido aos Termos de Serviço do Google esse site foi encerrado. Existe ainda um pastebin com várias câmaras, a maioria delas a funcionar.

domingo, 20 de janeiro de 2013

0 Hacker “Barack_11” ataca 22 sites Portugueses e coloca dados no Pastebin

São Câmaras Municipais, lojas online, órgãos de comunicação social, empresas de fornecimento de Internet e outros. Os dados estão disponíveis no Pastebin.


Sem indicar motivos ou outro comentário, o Tugaleaks recebeu um e-mail contendo um único link Pastebin. Intrigados, seguimos o “rasto” e detectamos 22 sites atacados e 4 avisos de vulnerabilidades. Dos ataques, houve “dump” da base de dados que muitas vezes contém informação priviligiada ou que não devia estar online.

A lista de sites

  • adapecil.pt: o único administrador do site tem a password 12345
  • bandasfilarmonicas.com: mais de 1500 users e passwords que com pouco trabalho se conseguem “decifrar”
  • barlavento.pt: este jornal, referência no Algarve, tem mais de 300 registos de subscritores com as suas respectivas passwords.
  • boxlines.pt: esta empresa ligada ao sector marítimo tem também perto de uma dezena de passwords e usernames “leakados” na Internet
  • castellolopescinemas.com: os populares Cinemas Castelo Lopes viram também as suas passwords divulgadas na Internet. Entre as menos regulares, encontram-se passwords como “paneleiro” e “palhaço”.
  • cm-coimbra.pt: a Câmara Municipal de Coimbra tem o username “admin” e password “admin”.
  • decimagem.pt: esta empresa, da área da televisão, tem apenas um colaborador com uma password pronta a ser “recuperada” por hackers.
  • farol.iol.pt: o site Farol do IOL já tinha sido atacado anteriormente, e parece que continua vulnerável passado cerca de um ano.
  • fmleao.pt: a Fundação Manuel Leão, usando o mesmo sistema que outros sites, também tem apenas um acesso ao site.
  • graopara.pt: esta empresa de construção devia também construir os seus sites melhor, pois têm vários e-mails expostos com o ataque deste hacker
  • hasite.pt: empresa de comercialização de material para hotéis tem agora telemóveis e e-mails expostos ao público.
  • interacesso.pt: “antiga” empresa de fornecimento de Internet define username “rui” e password “rui” para um dos seus acessos.
  • margov.isegi.unl.pt: este site, de uma universidade, contém e-mails e passwords no Pastebin.
  • mascarilha.pt: a loja online que vende, entre outras, as máscaras dos Anonymous, também viu os seus acessos expostos online.
  • nasturtium.com.pt: empresa de apoio a professores tem username “admin” e password “naosei”.
  • novadecor.com.pt: embora esta conta já esteja desactivada à data da publicação da nossa notícia, os usernames e passwords são bastante fáceis.
  • portaldasfarmacias.com: a Associação Nacional de Farmácias tem um login “rtp”, não se sabe muito bem porquê, mas outros logins estão também disponíveis.
  • portugalbytradition.com: nomes de empresas e e-mails fazem parte da lista de dados divulgados.
  • sncc-psp.com: o Sindicato Nacional da Carreira de Chefes da PSP tem user e passwords online mas também IPs, sendo fácil descobrir um IP da PSP pertencente ao Ministério da Administração Interna.
  • sosazulejo.com: aqui são apenas três logins com password desta empresa cujo site apresenta até falhas “visuais” além da segurança informática
  • torrestir.pt: empresa de distribuição tem mais de 250 e-mails de newsletter online.
  • vidisco.pt: empresa ligada à comercialização e distribuição de música tem agora dados de lgin online acessíveis a todos.

Sendo estado, universidades ou outros sistemas, torna-se claro que desta forma Portugal cai bastante abaixo na segurança informática.

Link do Pastebin

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

0 RTP não cumpre serviço público e Correio da Manhã tenta abafar história

Empresa com quem a RTP quis criar um programa e não cumpriu, tentou denunciar situação ao CM e foi “abafada”, provavelmente pelos “amigos” na RTP.

A empresa chama-se Xchange e iniciou atividade em finais de 2010. O seu propósito era entre outros a realização de eventos e conteúdos televisivos. Em 2011, criou o projeto “Os Novos Talentos”, que segundo a empresa conta com o apoio do Ministério da Solidariedade e Segurança Social de várias Câmaras Municipais e algumas empresas privadas.
Contactaram a Direção de programas da RTP em Dezembro de 2011 mas apenas a Fevereiro de 2012 foram recebidos por Nuno Vaz, da Direção de Programas da RTP. Na altura foi comunicado à empresa, da parte da RTP, que havia interesse no programa, mas um mês depois, via e-mail, receberam a informação de que projecto “não encaixava na linha editorial da RTP para 2012 e 2013”.
Após reclamação perante o Conselho de Administração, a Xchange recebeu um estranho telefonema do Diretor de Programas, Hugo Andrade, onde a produtora foi avisada de que “se já estava a fazer queixas, ia arranjar um inimigo e não iria conseguir trabalhar em Portugal”. Hugo Andrade acabou por reunir com a produtora e explicar que o problema era a privatização: a RTP não iria comprar mais programas até ser privatizada ou concessionada e, por isso, não havia espaço para a Xchange. A produtora não confiou nas justificações de Hugo Andrade e prosseguiu o seu protesto. Cerca de um mês depois, recebe um email de Hugo Andrade a “oferecer” um minuto semanal da grelha para o programa “Os Novos Talentos”, minuto esse que a produtora ainda teria que pagar à RTP.
Ainda a 15 de Outubro do ano passado e havendo quase meio ano sem contacto com a RTP, embora a empresa tenha tentado apresentar as suas propostas, foi recebida uma carta do Director Geral de Conteúdos, Luís Marinho, contendo a seguinte afirmação: “independentemente da apreciação do mérito e da qualidade de qualquer conteúdo a emitir, a respectiva escolha e a oportunidade da sua integração na grelha de programação é da responsabilidade do Director”. A desculpa da privatização não funcionou desta vez.
Não satisfeitos com a situação, os responsáveis da Xchange apresentaram uma queixa á ERC. Nela, afirmam que “as respostas obtidas pela Reclamante da parte de uma empresa, de capital exclusivamente público, são indiciadoras de pouca transparência e induzem a interpretações, eventualmente erradas, segundo as quais a Reclamante não tem o mesmo tipo de direitos e oportunidades que as produtoras que habitualmente produzem conteúdos para televisão em Portugal, por não possuir a mesma dimensão económica que estas.”
Acusam também, nessa mesma queixa, que a RTP está a defender monopólios internacionais quando afirmam que “a situação reveste-se de maior gravidade ao ser analisada a actividade da actual Direcção de Programas, a qual sistematicamente vem atribuindo o seu horário nobre às produtoras multinacionais que monopolizam o mercado com os seus formatos importados (Endemol, Fremantle Media, Plural Entertainment e CBV). Como é do conhecimento geral, estas produtoras cobram valores muito mais elevados do que as produtoras nacionais e, na realidade, os seus conteúdos não estão surtir efeito, apresentando a RTP, actualmente, mínimos históricos de audiência.”
Sobre este assunto, o Tugaleaks contactou a RTP dia 17 de Dezembro sem qualquer resposta, embora a Linha de Atendimento do Espetador e Ouvinte tenha indicado que o e-mail foi encaminhado para a Direção de Programas (a mesma que respondeu tardiamente à empresa Xchange).
Este podia ser apenas uma maré de “azar” para esta empresa, mas ao que o Tugaleaks apurou é bem mais grave que isso…

RTP não cumpre serviço público e Correio da Manhã tenta abafar história

Correio da Manhã recusa notícia após longa entrevista

No início de Dezembro de 2012 a jornalista Eugénia Ribeiro do Correio da Manhã fez uma entrevista com a empresa Xchange onde explicaram em muito mais detalhe o que é que se tinha passado. Quinze dias dopeis receberam a resposta de que o editor Hugo Real não “queria publicar a entrevista”.
Curiosamente, ou talvez não, o Diretor de Programas da RTP e o Editor do Correio da Manhã são amigos no Facebook como se pode comparar entre o perfil de Hugo Real e Hugo Andrade.

RTP não cumpre serviço público e Correio da Manhã tenta abafar história
clique para ampliar
Ao mesmo tempo que o Tugaleaks enviou um pedido de esclarecimento para a Direção do Correio da Manhã a empresa recebia um contacto a dizer que a situação iria ser analisada novamente. E ainda estão a analisar, passado três semanas. Ao Tugaleaks nunca foi dada qualquer resposta.

RTP com mau serviço público, afirma relatório

Se contra factos não há argumentos e caso os apresentados não cheguem, torna-se evidente pelo Relatório do Grupo de Trabalho para a definição do conceito de serviço público de comunicação social , apresentado em finais de 2011, que a RTP faz tudo menos serviço público.
Do relatório consta, entre outras informações que “a estrutura empresarial escolhida pelo Estado para a entidade responsável pelo serviço público de rádio e de televisão não tem tido, de forma geral, vantagens para os ouvintes e espectadores nem para os contribuintes.”

Este é mais um possível caso de falta de interesse ou de simples “amigos” internacionais e economicamente mais bem posicionados?
O Correio da Manhã irá algum dia terminar de reavaliar a entrevista dada?
A empresa Xchange promete que se a ERC não se pronunciar ou, se à semelhança do caso entre ERC e Miguel Relvas, se tornar em mais um monopólio, recorrer para instâncias Europeias.

Downloads

Reclamação enviada à ERC

Adenda enviada à ERC

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

0 Queixa contra Passos Coelho arquivada sem investigação ou contacto com testemunhas

É uma daquelas coisas que toda a gente diz que há, mas não há: justiça. A nossa queixa foi completamente ignorada. Testemunhas não foram ouvidas. Vamos recorrer.
Foi a 9 de Setembro que o Tugaleaks apresentou aquela que seria, na altura, a primeira queixa apresentada por este movimento cívico. Acusámos Pedro Passos Coelho de falta de transparência política e de dizer o dito por não dito antes de estar no Governo e depois de estar no Governo. São flagrantes as declarações contraditórias e existem vídeos no YouTube e imagens no Facebook a comprovar isso.

Infelizmente, nem sempre a justiça se guia pelas redes sociais. Na semana passada o Tugaleaks recebeu a arquivação do processo, e após análise consideramos a arquivação vergonhosa e manipladora, tendo em conta que nem as mais de dez testemunhas arroladas foram ouvidas. Alias, não houve qualquer investigação (o Ministério Público tem essa competência, de pedir investigação e de usar os meios necessários) limitando-se a apreciar uma queixa de página e meia feita pelo Tugaleaks. Além de não terem sido ouvidas testemunhas, o denunciante do processo e fundador do Tugaleaks, também não foi chamado para prestar esclarecimentos.
O arquivamento começa por deturpar a verdade de forma flagrante quando indica que a queixa foi feita “embora sem especificar que o mesmo exerce as funções de 1″ Ministro”, quando é perceptível na queixa que estamos a citar declarações antes e depois do lugar que Pedro Passos Coelho ocupa.
Mais à frente, é indicado que “De qualquer modo o denunciante teve dificuldade em integrar tais factos/declarações em qualquer dos crimes…” e se foi esse o caso, caberia à nossa justiça chamar o denunciante para apurar ou tentar explicar melhor a situação.
No parágrafo seguinte consta que “Também quanto a nós a “transparêncía política”, independentemente de poder ser uma actividade relativa à formação democráúica e pluralista da opinião publica, neste caso concreto até se pode considerar uma declaração em que antecipadamente comunica aos cidadãos o que o governo irá decidir sobre a diminuição dos seus salários”. Ora, foi precisamente isso que contestámos: dizer algo diferente antes e depois, informando mal os Portugueses.
Por último, estes dois parágrafos dizem tudo a respeito da nossa aparente falta de justiça:
Não conseguimos descortinar, pois que umas declarações proferidas em Setembro de
2012 que contradigam outras proferidas sobre o mesmo assunto no ano anterior – aumentar ou não a contribuição aos trabalhadores – violem qualquer valor jurídico-penalmemte tutelado.
O eventual interesse colectivo atingido não está penalmente sancionado e ainda que
também se pudesse hipoteticamente dizer que a conduta do 1″ Ministro poderia ser
socialmente danosa, tambóm não a encontramos sancionada criminalmente.

Assim, o “interesse colectivo” (a Troika) foi mais uma vez premiado.

Sem tempo para recorrer

Para provarmos que a justiça está de mãos e pés atados contra possíveis “penetrações” de cidadãos e grupos de cidadãos com coragem, fomos investigar o prazo para reabrir o processo. Temos 20 dias a contar da notificação. No entanto, o Tugaleaks não vai, em consciência, pedir centenas de euros de donativos aos nossos leitores, que nunca poderiam contribuir nesta época de crise.
A alternativa é pedir um advogado oficioso à Segurança Social, que tem um prazo máximo de 30 dias para atribuir um advogado. Mesmo que fosse atribuído antes, nunca haveria tempo para consultar processo e fazer um pedido de reabertura em tempo útil.
Que fique dito, para a posteridade, que iremos pedir a reabertura do processo quando e se nos for dado um advogado oficioso. E que caso isso não aconteça, o nosso caminho será para apresentar outra queixa, igual, e pedir o advogado oficioso antes do processo ser novamente arquivado.
Não vamos desistir de, em consciência, usar todo o sistema judicial Português para punir quem se contradiz antes e depois do cargo que ocupa e quem por gestão da nossa República levou ao desespero de muitas famílias Portuguesas.

Será esta a justiça que temos em Portugal?

Download do arquivamento 

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

0 Políticos do PSD com cabeça a prémio após aprovarem o OE2013

Está a ser montada uma equipa que se prepara para abater políticos, advogados e pessoas da Maçonaria e Opus Dei. Alguns do PSD também estão na lista.

Após a grande contestação que a aprovação do OE2013 e de sabermos que o que o FMI pediu não foram tantos sacrifícios como o Governo de Passos Coelho pediu bem como das inúmeras manifestações organizadas contra a aprovação deste orçamento, vem-se agora saber que existe em Portugal uma equipa organizada que pode estar a tentar eliminar alguns destes políticos que o aprovaram.
O primeiro sinal de que isto estaria para acontecer foi dado pelo Jornal O Crime na edição de 25 de Outubro pelo jornalista Carlos Tomás. Nela, constava a seguinte notícia, que dava conta de empresários que se estariam a munir de armas e explosivos vindos de Espanha.

Políticos do PSD com cabeça a prémio após aprovarem o OE2013

Há algumas semanas que a escolta policial de determinados pessoas da Assembleia da República, a maioria Ministros, também tem sido aumentada.
O segundo sinal veio quando dia 28 foi feita uma reunião na Costa da Caparica com vista à invasão da Assembleia da República no dia 1 de Dezembro. Apareceram 5 pessoas, mas via Facebook continuam os preparativos num grupo fechado ao qual o Tugaleaks teve acesso. Outras reuniões podem ser marcadas até lá.

A ameaça parece mais séria

Nos últimos dias o Tugaleaks recebeu informações de que alguns dos políticos do PSD poderiam estar nessa lista. Mais tarde, em grupos de discussão privada (como os que defendem entrar na Assembleia da República sem aviso e pela força, ou os que defendem o mesmo no Palácio de Belém ou os que queriam organizar uma visita á casa de Passos Coelho com paus e pedras) circulavam listas “resumidas” com os mesmos nomes e moradas que apareceram há alguns meses na Internet no entanto filtradas pelos responsáveis do OE2013 dessa lista. Um exemplo de imagem pode ser visto aqui, com o link para a respectiva fonte.

Políticos do PSD com cabeça a prémio após aprovarem o OE2013

A lista de militantes do PSD continua online

A lista, datada de 2010, dos militantes do conselho de Lisboa do PSD ainda está disponível na Internet, em vários locais como em ficheiro Torrent. Na altura, o PSD disse que ia “apresentar queixa por desconhecidos” (fonte) mas até agora não resultou em nada, pois o ficheiro continua online e em vários locais na Internet.
Esta lista, segundo indicado ao Tugaleaks, serviu para mais facilmente localizar alguns alvos a abater e circular em grupos fechados.
Os mesmos que fizeram a lista podem não ser os mesmos empresários da notícia do crime, mas a opinião é certa… a caça ao homem está a ser montada.

Serão estas as FP-25 modernas e conseguirão concretizar o seu objectivo?

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

0 Absolvido membro do Tugaleaks acusado de ter atirado garrafa a carro da PSP durante manifestação

O membro do Tugaleaks Ricardo Castelo Branco foi hoje absolvido da acusação de ter atirado uma garrafa a um carro descaracterizado da PSP, durante a manifestação de 5 de Outubro frente à Assembleia da República.

Ricardo Castelo Branco foi uma das sete pessoas detidas na noite de 5 de Outubro, dia em que milhares de pessoas se manifestaram nas ruas de Lisboa tendo como destino final a Assembleia da República.
Nessa sexta-feira, Ricardo Castelo Branco foi detido para identificação, tendo ido a tribunal na segunda-feira seguinte, acusado do crime de resistência e coação sobre um funcionário policial.
Apesar de ser um julgamento sumário, o processo só hoje ficou concluído, com a absolvição do arguido.
O coletivo de juízes considerou apenas como factos provados a presença de Ricardo Castelo Branco na manifestação em frente ao Parlamento "munido com uma máscara" (usada pelo grupo "Anonymous").
De resto, "não resultaram provados demais factos", afirmou hoje a juíza durante a leitura da sentença, no Campus de Justiça, no Parque das Nações.
Tendo em conta que o arguido afirmou ter "participado ordeiramente na manifestação", "de ser de noite" e de os agentes da PSP se encontrarem longe do local de onde foram arremessadas as garrafas, o tribunal decidiu absolver o arguido.
As declarações das testemunhas ouvidas foram contraditórias e, "subsistindo dúvidas", o tribunal decidiu considerar Ricardo Castelo Branco inocente, não o obrigando a pagar quaisquer custas judiciais.
Em declarações à agência Lusa no final da leitura da sentença, Ricardo Castelo considerou que "este tipo de processos" servem como "forma de opressão": "Assim, as pessoas já sabem que se forem a manifestações correm sempre o risco de serem detidas e passarem a noite na esquadra, mesmo que depois sejam absolvidos", criticou.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

0 PROTESTO: Anti-repressão policial



ESTE É UM PROTESTO PACÍFICO
CONTACTO: http://78j.xs.sl.pt/ (usar o formulário)
PONTO DE ENCONTRO: JUNTO À ESTÁTUA NO SALDANHA!
Domingo, 21 de Outubro de 2012 ás 17:00

Durante mais de um ano vimos os nossos irmãos e companheiros de luta, serem constantemente vitimas de repressão e agressão policial.
Desde o 1 de Maio de 2011 em Setúbal, passando pelos protestos em frente à Assembleia da República, houve sempre um estigma e tentativa de referenciação de activistas, cargas policiais e agressões.

A polícia, em conjugação com o Ministério Público, têm orquestrado uma série de manobras de referenciação sem precedentes, tendo recentemente acusado formalmente á poucos dias um activista por o ver na rua e, “tendo ficha”, decidiram detê-lo.
A acusação é apenas composta por uma alegada referenciação que existia previamente e na qual dois agentes decidiram deter o individuo. Sem fazer nada.

Esta atitude que lembra os tempos da PIDE não pode ser passada impune.
Embora não sejam todos os polícias “maus”, vemos que são sempre os mesmos a estarem nas manifestações salientando por isso algum problema não na força policial mas sim no departamento que gere e envia os mesmos agentes para as mesmas missões.

Saiu também em vários órgãos de comunicação social a ilegalidade dos vídeos recolhidos pela PSP nas manifestações deste mês.
A PSP, que deveria proteger e servir o povo, está mês após mês, a servir este governo fragilizado e a cometer ilegalidades.


Exigimos a revisão da lei do direito à manifestação que é de 1974 e eximimos um pedido de desculpa das forças policiais pelas ilegalidades cometidas e já demonstradas bem como pelas agressões e referenciações a activistas.

Neste protesto vamos ocupar uma (preferencialmente as duas) facha da Av. da República, do lado do Saldanha, para simbolizar que com estas acções por parte das forças policias, estarmos a regressar a uma ditadura.

O site da PSP indica que a PSP tem por missão “assegurar a legalidade democrática, garantir a segurança interna e os direitos dos cidadãos, nos termos da Constituição e da lei”. Tal não acontece, conforme o Tugaleaks denunciou nos últimos meses.

Saímos à rua pela dignidade do cidadão.
Somos Tugaleaks, e lutamos pela verdade da informação!
 

NOTÍCIA TUGA Copyright © 2011 - |- Template created by Notícia Tuga - |- Powered by Notícia Tuga